Prefeitura segurou milhões da Covid-19

Conversa Inteligente / 25/02/2021 - 00h46

Depois que a Câmara Municipal de Montes Claros aprovou Projeto de Lei enviado pelo prefeito Humberto Souto, no valor de R$ 30.915.585,36 (recursos remanescentes do mandato anterior), destinados para combater a Covid-19, fica claro que a atual administração não gastou como deveria na prevenção, preocupada apenas em investir na mobilidade urbana. Resultado! Novamente a população será sacrificada. 

Bateu o desespero
Como já havíamos alertado há algum tempo, a nova onda da Covid-19 em Montes Claros desenha um cenário assustador para os próximos dias. A tendência são os hospitais sofrerem uma pressão maior pela alta da taxa de crescimento dos casos. 
 
Decreto
O decreto assinado pelo governo Humberto Souto determina toque de recolher das 22h30 às 5h, durante dez dias. A partir desta quinta-feira (25), fica proibido o funcionamento de atividades econômicas, assistenciais, culturais e religiosas entre 22h e 5h. 
 
Desespero
Apesar de todos os avisos feitos diante do avanço da doença, o prefeito Humberto Souto, em casa, sob cuidados médicos, preferiu baixar decretos sem avaliar a eficiência das medidas. Agora, terá que agir de maneira radical. O decreto não será suficiente. O montes-clarense, infelizmente, pode se preparar para o pior. Os casos vão explodir. 
 
Alerta de emergência!
A cidade vai precisar se precaver. Teremos sérias dificuldades com vagas em UTI, CTI, leitos e alta demanda de oxigênio. 
 
Prefeituras podem comprar vacinas 
A Frente dos Prefeitos decidiu formar consórcio para adquirir vacinas contra a Covid-19. A decisão foi tomada após o Supremo Tribunal Federal permitir que estados e municípios possam importar e distribuir vacinas contra a Covid, registradas por órgãos reguladores estrangeiros. 

Publicidade
Publicidade
Comentários