Deputados: votações em queda

Conversa Inteligente / 03/12/2020 - 00h37

Não é à toa que os deputados estaduais Tadeuzinho (MDB), Gil Pereira (PSD), Arlen Santiago (PTB), Carlos Pimenta (PDT) e o deputado federal Paulo Guedes (PT) estejam preocupados com a votação em Montes Claros (2022).

Tadeuzinho 
Quando foi eleito deputado pela primeira vez, em 2010, Tadeuzinho (MDB) teve em Montes Claros 20.692 votos. Em 2018, 10.364. Comparando a primeira com a última, perdeu 10.228 votos. 
 
Gil Pereira 
Em 2014 teve 27.301 votos. Em 2018, obteve 16.349: perdeu 10.952 votos.
 
Arlen Santiago
A votação do deputado Arlen (PTB) nunca atingiu a marca de 10 mil votos em Montes Claros. Nas últimas três eleições: 2010, 5.983; 2014, 6.798 e, 2018, 7.213.
 
Carlos Pimenta 
Desde 2010 (7.368), o deputado Carlos Pimenta (PDT) não atinge 10 mil votos. Em 2014 foram 7.826, com apoio do governo municipal e, em 2018, chegou a 9.390.
 
Paulo Guedes 
O deputado federal Paulo Guedes (PT) viu seu potencial de votos cair vertiginosamente em Montes Claros. Para deputado estadual, em 2014, teve 28.998. Já em 2018, 20.693 votos: perdeu 8.375 votos.
 
Eleição 2022
Diante desse cenário nebuloso e a incógnita sobre o segundo mandato de Humberto Souto, os parlamentares estão preocupadíssimos com as urnas.
 
PSL: desempenho de nanico 
As eleições desse ano devolveram o PSL à condição de nanico na política nacional. O partido está na última posição no ranking de legendas com mais candidato: fez somente 90 prefeitos. 
 
Votos fora
Diante do cenário político de Montes Claros, os deputados continuam investindo em outras bases eleitorais (cidades). Resta saber como vai ser agora o redesenho político de 2022.

Publicidade
Publicidade
Comentários