Via Meirelles

Coluna Esplanada / 11/04/2018 - 01h20

Caciques do MDB já admitem, nos bastidores, que são “ínfimas” as chances de o presidente Michel Temer concorrer à reeleição. Por outro lado, cresce, internamente, o apoio à candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, filiado à legenda na última semana. O senador Edison Lobão (MDB-MA) tem conversado bastante com José Sarney. De acordo com ele, o ex-presidente, espécie de “ministro informal de Temer”, tem dito que Meirelles será a via mais provável do partido. 

Sondagem 
Em meio à divisão interna, o MDB avalia fazer pesquisa nos próximos dias para sondar, entre os filiados, o apoio a Meirelles. 
 
Plano B
Após a prisão do ex-presidente Lula, o PT irá testar, discretamente, o plano B para a disputa presidencial de outubro. 
 
Comitês
O ex-ministro Jaques Wagner (PT-BA) comanda, pessoalmente, nas próximas semanas, a instalação dos chamados “comitês pela democracia” Brasil afora. 
 
Fake News 
Paula Bernadelli, da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep), aponta o principal empecilho para o combate às chamadas fake news: “É a falta de uma legislação específica sobre o tema”. 
 
Efeito Lula
Deputados e senadores petistas avaliam que será “muito difícil” manter as bancadas na Câmara e no Senado após a prisão do ex-presidente Lula. Os mais pessimistas falam em redução pela metade de parlamentares da legenda nas duas casas. 
 
Troca-Troca 
Após o troca-troca permitido pela chamada “janela partidária”, encerrada na sexta-feira, a maior bancada na Câmara é a do PT que tem 57 deputados. No Senado, são 10 parlamentares da legenda – dos quais cinco são alvos de inquéritos no STF. 
 
Mundo em crise
Circula o paradoxo nas rodinhas: Lula conseguiu colocar a direita conservadora no cabaré e a esquerda numa missa.
 
Cerveja & Missa 
Tratam-se dos episódios do empresário paulista que deu cerveja na porta de sua boate, comemorando a prisão, e da missa que petistas pediram em memória de dona Marisa. 
 
A Queda
Jornal francês “Le Monde” destacou em longa reportagem detalhes que antecederam a prisão do ex-presidente Lula. De perfil esquerdista, o diário resumiu: “Sábado, uma parte do Brasil chorou a desgraça do antigo chefe de estado; enquanto a outra celebrava sua queda”. 
 
Lento Trâmite
Um ano e quatro meses depois de aprovado no Senado, o projeto (PL 6.621/16) que propõe medidas para fortalecer as agências reguladoras federais enfim começa a tramitar na Câmara dos Deputados. 
 
Insegurança Jurídica
Presidente da comissão que irá analisar a proposta, o deputado tucano Eduardo Cury (SP) afirma que as alterações na organização das agências reguladoras visam “dar segurança para técnicos concursados, de alta qualificação, que enfrentam insegurança jurídica na hora de tomar decisões”.

Publicidade
Publicidade
Comentários