Resistências internas

Coluna Esplanada / 18/08/2020 - 00h11

O ministro da Economia, Paulo Guedes, não enfrenta apenas a debandada dos melhores quadros de sua equipe, desanimados com o cenário político-econômico atual. É forte a resistência do funcionalismo público, engajado na luta contra as privatizações, e contra a reforma administrativa. A associação de servidores da Caixa, por exemplo, fez uma pesquisa e descobriu que 97% dos servidores são contra a privatização do bancão 100% estatal. O Banco do Brasil já tem capital misto. Mas há cases de sucesso no ramo. A Caixa Seguradora foi privatizada anos atrás, e tem uma sócia francesa. Tornou-se uma das maiores empresas seguradoras do mundo, com nova e mega sede em Brasília.

No azul
Outra resistência vem do setor elétrico. Na sexta, a Associação dos Engenheiros e Técnicos do Sistema Eletrobras espalhou por whatsapp dados positivos que, na visão dos servidores, blindam a estatal de energia da cobiça do mercado privado.
 
Tomada ligada
Lembram os engenheiros que foram R$ 5 bilhões de lucro no último ano fiscal; que a Eletrobras tem R$ 15 bilhões em caixa, e mais de R$ 44 bilhões em recebíveis até 2028.
 
É o jogo
O Governo já esperava resistência interna, ao passo que servidores sabem que, nas privatizações, nenhuma estatal pode sair a preço de banana como em alguns casos.
 
UnB online
Após a confirmação há duas semanas, na Coluna, de que 18 universidades federais já têm faculdades ministrando aulas online em variadas plataformas para os alunos, a tradicional Universidade de Brasília decidiu pela sua. Retoma hoje as aulas remotamente. Nos últimos meses, houve ampla pesquisa com professores e alunos.
 
Cidadania.uni
Segundo a UnB, dois editais de inclusão digital foram lançados: “2.009 estudantes estão recebendo auxílio financeiro para aquisição de computadores e 805, para acesso à internet”. A reitoria ainda ressalta que, apesar da pandemia, “a UnB não esteve parada”. 
 
Volta ao lar
Kátia Rabelo, ex-Banco Rural, recuperou a portentosa Casa das Cobras, numa falésia de Arraial D’Ajuda (BA). A mansão decana da família, onde cresceu com a irmã, vale uns R$ 20 milhões e fora arrematada em leilão judicial por apenas R$ 600 mil pela família do deputado Ronaldo Carletto (Progressistas-BA).

Mal entendido
Só a reforma da casa custara R$ 6 milhões. Kátia recorreu na Justiça diante de gargalos mal explicados numa ação trabalhista que tramitou meteoricamente. E conseguiu. 
 
Olhar clínico
Ex-secretário de Desenvolvimento e Energia do Rio de Janeiro, o engenheiro Wagner Victer, que impulsionou o setor de GNV no Estado no fim dos anos 90, enviou para deputados sugestões de emenda à Nova Lei do Gás, em tramitação no Congresso.
 
Entre dutos
Ciente das amarras do setor e das armadilhas no preço final para o consumidor, do industrial à dona de casa, Victer sugeriu mudanças – com aval da ANP – sobre o transporte de GNV para não onerar a União e em especial o consumidor. 
 
Uber & passeios
A Visa Consulting & Analytics soltou um dado curioso sobre o uso de carros na pandemia, com análise embasada nas transações dos cartões da operadora: houve aumento de 27% nos aluguéis de veículos comparando maio com o mesmo mês de 2019. Muito disso é cidadão alugando carro para trabalhar como Uber, ou para passeios.
 
Na pista
O levantamento da Visa verificou todas as capitais. Destaque para Salvador, que liderou os índices, com “aumento de ticket médio de 239%”, seguida por Maceió (131%), Fortaleza (118%), Natal (107%) e João Pessoa (89%).
 
Nicolândia
Tradicional parque de diversões fixo dentro da capital federal – e um dos pouquíssimos do Brasil – o Nicolândia, instalado em meio aos jardins do Parque da Cidade e fechado desde março, resiste sem demissões à crise gerada pela pandemia. A direção informa que não há previsão de reabertura, mas há expectativas. 
 

Publicidade
Publicidade
Comentários