Gol contra

Coluna Esplanada / 05/10/2021 - 00h02

O jogador Daniel Alves, craque da Seleção, meteu gol contra que pode render uma canelada extracampo. Alves é sócio do amigo Antônio da Costa de Souza na Neovida Comércio de Produtos para a Saúde, que acaba de receber do governo de Roraima a bolada de R$ 2.338.775,88 pela venda do medicamento Rocurônio, muito usado na pandemia da Covid-19 como auxiliar anestésico para entubados. As 30 mil ampolas foram entregues a R$ 88,90 cada, cerca de 90 dias depois do contrato. Ocorre que, à ocasião da encomenda, o Rocurônio estava em falta na praça e o preço nas alturas, e foi entregue com valor na baixa. A Secretaria de Saúde emitiu parecer técnico, ao qual a Coluna teve acesso, sugerindo que o contrato é passivo de investigação.

No alambrado
Para piorar, há uma CPI da Saúde na Assembleia Legislativa. A Neovida informa que “as tratativas se deram dentro da mais pura legalidade”, e que “não há receio de eventual convocação na CPI”.
 
Acordado, meu bem?
Um senador de 1º mandato não dorme há semanas. Tem dinheiro suspeito depositado por lobista de uma importadora de medicamentos numa conta. Pior, na conta da esposa.
 
Piada na tela
A rede Kinoplex (Park Shopping, no DF) exibe um vídeo institucional de orientações antes dos filmes com a logo do patrocinador: PREVENT SENIOR – especialista em pessoas. Vem a ser o hospital alvo da CPI da Pandemia por tratamento precoce ineficaz.
 
Supremo avaliza...
Com o orçamento no vermelho, a União desembolsou mais de R$ 5,5 bilhões para arcar com dívidas atrasadas de estados apenas em 2021. Dados do Ministério da Economia apontam altas inadimplências cobertas pelo Tesouro. Foram: R$ 256,18 milhões do Estado de Goiás; R$ 200,45 milhões de Minas Gerais; R$ 138,48 milhões do Rio de
Janeiro; R$ 16,76 milhões do Amapá – só para citar estes.
 
...e União paga
Entre 2019 e 2020, as decisões do STF impediram a execução das contragarantias de alguns estados, como a do Rio de Janeiro, diante da recuperação fiscal. Contragarantias de Minas Gerais também não são executadas em virtude de liminares concedidas pelo Supremo.
A praia de Dantas
Há um mistério envolvendo Daniel Dantas no litoral Sul da Bahia. Até o zelador diz que é dele uma fazenda de 126 hectares com imenso coqueiral, nas falésias da Praia do Satu. As terras já apareceram duas vezes à venda na internet. Numa delas, oferecidas por R$ 130 milhões. Mas o Banco Opportunity, que ele controla, avisa que não as vende.
 
Porcelanas do Médici
Um conjunto em porcelana Steatita de 16 peças com monograma EM (espólio do presidente Emílio Garrastazu Médici) foi vendido a peso de ouro em leilão virtual.
 
Sarney 2022
Depois de um ano recluso em casa, em Brasília, se precavendo contra a Covid-19, o ex-presidente José Sarney voltou a São Luís, há dois meses, para cuidar do futuro do clã. O cacique articula para realocar Roseana Sarney no Congresso. Ela quer se candidatar a deputada federal, e o neto Adriano (filho do aposentado Zequinha), ao Senado.
 
Lobinho junto
Que o eleitor maranhense não se assuste se Sarney procurar o governador Flávio Dino (PSB) para um papo. Dino nega qualquer aproximação com o projeto. E o Edison Lobão, que nunca perde carona do padrinho? Trabalha para lançar Edinho a deputado.
 
Aqui, não!
Vez ou outra, o senador Eduardo Girão (PODE-CE) ataca projetos de legalização dos jogos – até na CPI da Pandemia. Católico fervoroso e contra jogatina, chegou a barrar a venda de hotel da família por quase R$ 90 milhões em Fortaleza, porque o potencial comprador português sonhava um dia, ali, abrir cassino, se a legislação permitisse.
 

Publicidade
Publicidade
Comentários