Foi para o VAR

Coluna Esplanada / 07/04/2021 - 00h01

A cúpula do PT está revoltada com a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, de ter agendado para 14 de abril na pauta do plenário o julgamento do pedido da Procuradoria Geral da República de impugnação da decisão monocrática do ministro Edson Fachin, a que anulou todas as condenações de Lula da Silva apontando incompetência da 13ª Vara Federal de Curitiba nos processos. Em suma, após tanta comemoração do gol eleitoral do petista, o pênalti foi para o VAR – uma alusão às jogadas polêmicas no futebol. O PT cita “perplexidade” com a decisão de Fux, aponta validade inquestionável na decisão de Fachin e chama a pauta de tentativa de “cambalhota jurídica” patrocinada por setores insatisfeitos com a absolvição.

Corte rachada
Fontes da Coluna consultadas na segunda à noite indicam que, hoje, Lula da Silva tem um voto de vantagem no plenário. Se alguém mudar seu entendimento, a decisão é de Fux.
 
Puxadinho judicial
Na segunda-feira, os advogados de Lula correram para peticionar no STF o Habeas Corpus 164493, que pede a suspeição do então juiz Sérgio Moro em outros dois processos. No caso do sítio de Atibaia e no do imóvel do Instituto Lula.
 
Vaivém
O senador Jaques Wagner avisou a Lula e a correligionários mais próximos que vai disputar novamente o governo da Bahia. E o governador Rui Costa tentará o Senado.
 
Volta de Monteiro
O ex-senador Armando Monteiro, expulso do PTB por ser crítico a Bolsonaro e hoje no PSDB, voltou a tomar gosto pela política. Ocupa a mídia para falar de economia e política. É candidato ao governo de Pernambuco com as bênçãos do presidente nacional do partido, Bruno Araújo, e da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra.
 
Aquece o frevo
O clima eleitoral vai ferver ano que vem. Na outra ponta, no MDB, o senador Fernando Bezerra Coelho é o nome natural na disputa, ou pode impulsionar a candidatura do filho Miguel Coelho, hoje prefeito de Petrolina. Porém Jarbas Vasconcelos, presidente do MDB estadual, é só elogios ao PSB do governador Paulo Câmara.
 
Pezão recluso
Ainda sobre o caso Luiz Fernando Pezão, o ex-governador do Rio, em prisão domiciliar, processado na Justiça Federal no Rio. O MPF alega que ele fez movimentação em dinheiro em espécie porque sua conta investigada está inativa desde 1997. Mas não houve prova ainda. Pezão reclama que ficou preso 12 meses e 11 dias, sem ser antes ouvido.
 
Ellen no IRB
A ex-ministra do STF Ellen Gracie está listada ao lado de oito conselheiros na chapa a ser eleita para o conselho de administração do Instituto Brasil Resseguros dia 30.
 
Ringue 
O TSE já avisou ao presidente Jair Bolsonaro que não tem condições de implantar o voto impresso ano que vem. Assim como nas eleições anteriores. Bolsonaro insiste.
 
No vermelho
O deputado federal Vinicius Farah (MDB-RJ) pediu ao Ministério da Economia uma trégua para os prefeitos. A meta é suspender, enquanto durar a pandemia, a inscrição no CAUC, espécie de SPC dos municípios. Farah tem dados da Confederação Nacional dos Municípios que apontam 75% das 5.568 no vermelho. Isso as impede de receber repasses de recursos federais.
 
No vermelho 2
A transferência anual para municípios está estimada em R$ 23 bilhões, em especial pelo Fundo de Participação Municipal. “Seria uma medida emergencial. Senão, corremos o risco de ter um apagão administrativo”, explica o deputado.
 
Em boa hora
O Mercado Livre vai doar R$ 5 milhões em parceria com ONGs para o combate ao coronavírus no Brasil. Segundo a empresa, as “iniciativas estão focadas principalmente no combate à fome e na disponibilização de recursos e insumos para a saúde pública”.

Publicidade
Publicidade
Comentários