DEM perto de Ciro

Coluna Esplanada / 07/07/2018 - 08h30

Uma costura nada convencional pode unir ainda no primeiro turno dois partidos de esquerda e direita. Está em curso a articulação discreta entre o pré-candidato Ciro Gomes (PDT) e o DEM - tradicional aliado do PSDB e MDB nos Estados e em Brasília. Ciro conversa com o presidente do partido, o prefeito ACM Neto (Salvador), e o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que não será candidato ao Planalto. A dupla democrata sinalizou que o partido pode fechar com o pedetista se ele ajudar seus candidatos aos Governos de Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro. 

Estatística
No Rio, o ex-prefeito Eduardo Paes, forte candidato ao Guanabara, avisou que prefere pedir votos para Ciro, com boa capilaridade nas classes C e D, do que para Alckmin.
 
Plano A
Nome do DEM para o Governo mineiro, o deputado Rodrigo Pacheco entrou na mesma linha. A coalizão nas alterosas ainda tem a possibilidade de incluir o PSB.
 
Rifado
Ou seja: o candidato tucano Geraldo Alckmin, em baixa nas pesquisas, está sendo rifado pelo ‘aliado’ DEM em dois dos maiores colégios eleitorais do País. 
 
Chefe bacana
De olho no apoio eleitoral das classes policiais civil e militar do Estado, o governador de São Paulo, Marcio França (PSB), faz claros afagos. Acaba de sancionar lei, oriunda do Gabinete, que determina apoio integral da Defensoria Pública para agentes que sofram ações na Justiça em razão de conseqüências da atividade policial. 
 
Turma da Lei 
O Estado já garante ao cidadão sem condições financeiras esse serviço da Defensoria, inclusive aos policiais que assim se classificarem. Mas França fez questão de frisar na lei. Em nota, o Palácio Bandeirantes informou que “O governador é a favor que os policiais tenham quem os defendam na função, repleta de riscos”. Garantiu ainda que vai reforçar a Defensoria se for preciso. 
 
Crise existencial
Acostumado a apontar o dedo na TV, o futuro candidato ao Senado José Luiz Datena (DEM-SP) vai ser provocado pela oposição por sua instabilidade partidária em poucos anos. Ele era petista de carteirinha até 2015; pulou para o PP; migrou para o PRP; e até o fechamento da Coluna estava no DEM (de onde não sai por força da lei eleitoral).
 
Mira certa
Jair Bolsonaro deve ter bala na agulha além da metralhadora verbal. Sondou o caro marqueteiro Chico Mendez, da equipe de Henrique Meirelles, para uma conversa.
 
Capitão Arco-íris? 
A fase Bolsonaro Paz e Amor chegou mesmo!: “Nada contra quem é feliz com seu parceiro semelhante. Quem sabe amanhã eu seja também?”, soltou em palestra na CNI.
 
É rotina
Muitos estranharam a presença do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP) no Gabinete na Câmara às 6h ontem, quando a PF bateu à sua porta. Sua rotina há anos é chegar entre 5h30 e 6h de terça a quinta. Certa vez, não conseguiu entrar e teve de ligar para o diretor-geral da Casa para que abrissem os portões do Anexo IV.

Publicidade
Publicidade
Comentários