Cerveja em falta

Coluna Esplanada / 24/12/2020 - 00h01

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019. O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro. O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.

Cadeia 
A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.
 
Vinículas 
As vinículas também foram atingidas pela falta de matérias-primas. Além de garrafas de vidro, faltam caixas e rótulos. Para tentar atender à forte demanda de fim de ano, empresários de todo o país importam garrafas da Argentina e do Chile.
 
Duty Free
Passageiros provenientes do Reino Unido não estão tendo acesso às áreas de Duty Free nos aeroportos de Cumbica (SP) e Tom Jobim (RJ). É uma das medidas da operação da Anvisa nos terminais para evitar a propagação da variante da Covid-19 que circula naquele país. 
 
Suplente 
Derrotado na disputa à Prefeitura de Macapá (Amapá), Josiel Alcolumbre (DEM) poderá assumir uma cadeira no Senado. Ele é primeiro suplente do irmão, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que se movimenta para comandar um ministério na Esplanada.
 
Nepotismo
O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) quer acabar com a farra do “nepotismo entre titular e respectivos suplentes”. No projeto (PLP 253/2020) apresentado recentemente, Contarato diz que “é preciso pôr um fim a essa situação esdrúxula”.
 
Cueca 
O suplente do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal com dinheiro na cueca, é o filho Pedro Arthur Rodrigues. Ex-vice-líder do governo, Chico Rodrigues pediu licença do mandato por 121 dias.
 
Racha
Ex-partido do presidente Jair Bolsonaro, o PSL na Câmara manterá o racha interno na votação, em fevereiro, que vai eleger o sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ). A legenda tem a segunda maior bancada na Casa, com 53 deputados.
 
Lira 
Menos da metade dos parlamentares tende a seguir o acordo fechado pelo presidente da legenda, Luciano Bivar (PE), para apoiar o candidato do bloco de Rodrigo Maia. A maioria do PSL faz campanha para Arthur Lira (PP-AL), apoiado por Bolsonaro.
 
Vias 
Embora pregue “união” para a sucessão na Câmara e no Senado, o MDB segue em vias opostas nas duas casas. Presidente da legenda, o deputado Baleia Rossi (SP) não cedeu às investidas de caciques que tentaram demovê-lo da candidatura à presidência da Câmara.
 
Alianças 
No Senado, quatro parlamentares pré-candidatos do MDB garimpam votos e tentam fechar alianças para a disputa em fevereiro. As tratativas, no entanto, esbarram nas articulações na Câmara, onde o partido reúne 34 deputados. A última vez que o MDB presidiu as duas casas foi com Eduardo Cunha (RJ), na Câmara, e Renan Calheiros (AL) no Senado. 
 
Natal 
A pandemia da Covid-19 incentivou os brasileiros a usarem a internet para procurar árvores de Natal. Levantamento da OLX mostra que a demanda na plataforma aumentou 35% em novembro em relação ao mesmo mês de 2019. O preço médio ficou 56% maior, no valor de R$ 301, na mesma comparação.
 

Publicidade
Publicidade
Comentários