Cenários pós-urna

Coluna Esplanada / 18/11/2020 - 00h02

Juliana Brizola e Brizola Neto, netos do saudoso Caudilho, perderam a eleição para vereador em Porto Alegre e no Rio de Janeiro, respectivamente. O PCdoB foi derrotado em Olinda, que controla há muitos anos, reduto da esquerda intelectual da grande Recife. E na capital, os primos João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) racharam a militância, passaram empatados. Em Goiás, o governador Ronaldo Caiado mostrou sua força, e elegeu seis prefeitos do DEM no Entorno do DF. O PTB de Roberto Jefferson, com fundo eleitoral bem menor, elegeu mais prefeitos que o PT no país. O governador Flávio Dino (PCdoB) viu seu candidato perder em Imperatriz, maior cidade do interior do Maranhão. E em Lauro de Freitas (BA), onde Lula da Silva está morando, o PT venceu a prefeitura.

Tem que apoiar
O senador Humberto Costa (PT) e sua trupe no Recife estão num beco sem saída, mesmo com mais de 400 cargos doados pelas gestões do PSB.
 
Jogada eleitoral
É pule de dez que o PDT de Marta Rocha vai apoiar Eduardo Paes no Rio de Janeiro no segundo turno. Marta, aliás, foi jogada de Carlos Lupi para puxar votos anti-Crivella.
 
Mão forte
O famoso ex-senador Mão Santa (DEM), conhecido por seus longos discursos na tribuna, foi reeleito prefeito de Parnaíba, no Piauí, com expressiva votação (68%).
 
Fôlego de menino
Em Muriaé (MG) foi eleito o candidato mais idoso do país. José Braz (Progressistas), de 94 anos, venceu a disputa contra Grego, o atual prefeito. Braz já governou a cidade por duas vezes.
 
Ciber embromation 
O presidente do TSE, ministro Luiz Roberto Barroso, enrolou o brasileiro com discurso elegante ao seu jeito. Mas não foi ataque hacker que paralisou a divulgação dos resultados das eleições no portal do TSE. Foram os servidores sobrecarregados mesmo, porque ele decidiu desta vez centralizar a apuração em Brasília. Ataque hacker tem toda eleição, e a forte equipe de TI da Corte sempre blinda o sistema. 
 
Fama não ajuda
Os famosos Kid Bengala, Marcelinho Carioca, Maurren Maggi e Diego Hypolito, ex-atletas – com exceção do primeiro, ator pornô – não conseguiram vagas nas Câmaras. 
 
Vazio cultural
Os recifenses reclamam que a cidade vem se transformando numa capital sem memória, sem cultura. Teatros fechados, espaços culturais foram embora (Santander, Correios), e museu fechado (Mispe).
 
Das cinzas
Coadjuvante em todas campanhas eleitorais em que participou, o publicitário pernambucano Marcelo Rios transferiu-se de mala e cuia para a cidade de Sobral (CE), e conseguiu reeleger Ivo Gomes (PDT), irmão de Cid e Ciro. 
 
Cadê vocês?
Clientes do Banco do Brasil têm dado com a cara no vidro da porta giratória em todo o país. Várias agências estão sem atendimento presencial nos caixas. Gerentes informam que a maioria dos funcionários dos caixas estão na faixa etária de risco para contaminação de Covid-19. Procurada, a assessoria do BB não respondeu.
 
Pra gringo ver...
O programa de retomada do Turismo no Brasil, apresentando com pompas no Palácio do Planalto, parece uma ‘viagem’, para gringo ver, e só. Um empresário do setor de mídia e eventos procurou a Embratur e o MTur com tudo pronto para trazer jornalistas de sete países para uma press-trip. Todos com passaporte na mão. Há 15 dias ninguém o responde. E ele pediu apenas o apoio logístico. Mas desistiu. 
 
Sem bicas 
A Petrobras passou a integrar o sistema de inteligência da Polícia Civil do Rio de Janeiro, para combate a furtos de combustíveis em dutos, dando agilidade na elucidação de inquéritos. Já houve a prisão do líder da maior quadrilha em perfuração e retirada de combustível de oleodutos, que deu prejuízos de R$ 33,4 milhões para a petroleira.

 

Publicidade
Publicidade
Comentários