Parabéns, ciclistas

Aventureiros do Sertão / 21/08/2020 - 00h01

O Dia Nacional do Ciclista é comemorado em 19 de agosto. Essa data foi estipulada em memória ao ciclista brasiliense Pedro Davison, que foi atropelado em 2006, aos 25 anos, enquanto pedalava no Eixo Sul da capital federal. A data, atualmente, além de ser uma comemoração alusiva aos ciclistas, é, com o contexto em que foi criado, um convite a todos a uma reflexão profunda das atitudes que cada um toma diariamente no trânsito, e, diante disso, uma marca para uma busca incessante para tornarmos o trânsito de nosso país mais seguro mediante nossas ações. O Dia Nacional do Ciclista também é importante para promover o uso da bicicleta, um meio de transporte sustentável e viável. É preciso lembrar que não apenas os esportistas, mas também muitos trabalhadores, usam a bicicleta e precisam trafegar com segurança e respeito. Um trânsito seguro é responsabilidade de todos nós! A Coluna Aventureiros do Sertão parabeniza todos os ciclistas que cumprem com seu dever e contribuem para um trânsito mais humano e seguro.

Chapada Diamantina abre espaço para o MTB
Considerada a Meca do trekking nacional, a Chapada Diamantina agora se destaca como um destino épico para os amantes do mountain bike, com trilhas técnicas, single tracks, estradas de terra e paisagismos de tirar o fôlego. Por volta de 1840, foram descobertas as primeiras lavras diamantíferas da região, dando início ao “Ciclo do Diamante”, no centro do Estado da Bahia, onde hoje é a Chapada Diamantina. Do auge à decadência, muita coisa aconteceu. Novas cidades e povoados surgiram, assim como coronéis e economias paralelas. Quando o diamante que estava mais próximo da superfície foi ficando escasso, os garimpeiros – que não tinham máquinas de mineração para alcançar as lavras mais profundas – migraram para as regiões Norte e Sudeste do país , atraídos pela procura de mão de obra nesses lugares. A principal herança dessa época são as trilhas e caminhos abertos pelos garimpeiros, que hoje levam aos incríveis atrativos naturais da região. Com a criação do Parque Nacional, em 1985, os amantes das caminhadas começaram a explorar esse belíssimo lugar, embora ele nem esteja regulamentado para a visitação pública ainda. A necessidade de novas economias para a região faz com que atividades como o turismo de aventura e o ecoturismo se estabeleçam e operem os roteiros de maneira organizada, como se tudo fosse regulamentado, e acabam ajudando na manutenção do parque. Agora é só preparar a magrela!

Pedalar de máscara
O tema tem dividido opiniões em diversos blogs e redes sociais e, finalmente, os pesquisadores aprofundaram os estudos sobre as máscaras e concluíram que elas não prejudicam o desempenho, a princípio. Só se o desempenho e o esforço estiverem em baixos níveis de demanda. Nos esforços de baixa intensidade ou de curta duração (entre 2 e 4 minutos), na comparação do mesmo esforço com e sem máscara, os valores são muito semelhantes. De fato, essa variação é considerada mínima para atletas amadores, já que o importante é se proteger, não é mesmo? 

Bora Pedalar
O novo manto será a identificação da equipe “Bora Pedalar”, que possui as mais diversas personalidades no ciclismo. Grupo administrado pelo amigo Deangelis Caldeira, que tomou gosto pelo esporte e está sempre presente nos projetos sociais relacionados ao ciclismo. “Hoje foi um dia muito feliz pra essa família que cresce cada dia mais, união, diversão, perseverança e muitas gargalhadas em cada oportunidade de reunião entre nós, são alguns de nossos pilares que construímos com a participação de cada um”. E nada mais especial que estrear o manto no dia do ciclista, no Bar do Wilson. Parabéns!

 

Publicidade
Publicidade
Comentários