Cidade

Transidentidades

De 23 a 29 deste mês Montes Claros terá a “Semana Da Visibilidade Trans” para promover a sensibilidade da população

Larissa Durães
Publicado em 20/01/2023 às 23:06.
“Semana da Visibilidade Trans” terá atividades sociais, culturais e pedagógicas para evidenciar à sociedade montes-clarense a existência dos corpos trans e travestis, e suas necessidades por direito, saúde e educação. (LUCAS VIGGI)

“Semana da Visibilidade Trans” terá atividades sociais, culturais e pedagógicas para evidenciar à sociedade montes-clarense a existência dos corpos trans e travestis, e suas necessidades por direito, saúde e educação. (LUCAS VIGGI)

Desde 29 de janeiro de 2004 mulheres transexuais, homens trans e travestis lançaram a campanha “Travesti e Respeito” para promover a cidadania e o respeito entre as pessoas e que mostrasse a relevância de suas ações no Congresso Nacional. Assim a data ficou reconhecida como Dia da Visibilidade Trans. A cada ano, organizações do Brasil inteiro buscam realizar atividades de valorização e respeito para toda essa comunidade, ainda muito marginalizada.

Entendendo a importância da data e a necessidade de se pensar nos direitos de toda a comunidade Trans de Montes Claros e Norte de Minas, a Aliança Nacional estará realizando, de 23 a 29 deste mês, a “Semana da Visibilidade Trans”, com atividades sociais, culturais e pedagógicas para evidenciar à sociedade montes-clarense a existência dos corpos trans e travestis, e suas necessidades por direito, saúde e educação.

Para Letícia Imperatriz, coordenadora adjunta da Aliança Nacional LGBT+ de Minas Gerais, essas ações vêm ao encontro da necessidade da população trans (mulheres trans, mulheres travestis e homens trans), que integra a comunidade LGBT – e é a que mais sofre as mais diversas discriminações, segregações, além de marginalização – poderem se mostrar como seres humanos. 

“Diante desta marginalização e da objetificação desses corpos, este público acaba ficando à mercê da sobrevivência e não da vivência como todos os seres humanos. Porque, infelizmente, somos excluídos do mercado de trabalho, do espaço da educação, da saúde, Sendo assim, não temos acesso a direitos”, destaca. 

Neste sentido, Letícia destaca a importância do evento. 

“Vem, justamente, para trazer à tona aos montes-clarenses esse olhar que a sociedade não tem sobre as nossas vivências, sobre as nossas realidades”. 

Por essa razão, Letícia acredita que se a população e o poder público comparecer para prestigiar a campanha, “poderá entender esse mundo em que vivemos e nos acolher”, diz, esperançosa. 
 
PROGRAMAÇÃO
Haverá atividades todos os dias. Abertura do evento será na Praça Dr. Carlos Versiani. De 13h às 17h, será realizada entrega de kits de higienes para pessoas LGBTI em situação de privação de liberdade em MOC, além de roda de conversa com os colaboradores da Secretaria de Desenvolvimento Social, averbação de prenome e gênero de seis pessoas trans atendidas pelo Transidentidade, campanha “Respeite meu Nome Social” – com atividades em órgãos públicos da cidade –, exposição no Montes Claros Shopping Center do projeto “Transeuntes” (com exibição de documentário). No último dia, haverá o almoço Transidentidade, com homenagem às pessoas trans assistidas pelo projeto.

Todas as ações têm como objetivo evidenciar realidade das pessoas trans e travestis, além de reforçar o direito que têm de respeito à vida e aos direitos.
 
POR AVANÇOS 
“Montes Claros é uma cidade que avança, mas em relação à nossa população, infelizmente, não há nenhum avanço. Não temos ambulatório para cuidar da nossa saúde, não temos especialistas que compreendem os corpos dos trans, a educação cada vez mais, fica mais distante das nossas realidades e quando se procura o poder público, principalmente para se pensar o desenvolvimento social da população, eles desconhecem o nosso público”, denuncia Letícia. 

“Montes Claros não tem número sobre assassinatos contra a nossa população. Os números são sempre associados a outras questões como racismo, tráfico de drogas, mas nunca associado à transfobia ou ao transfeminicídio. Tudo é minimizado quando não se assume que existe pré-conceitos e se mata por isto, também”, lamenta. 

Sendo assim, Letícia destaca outro ponto importante a ser abordado durante a semana. 

“Esse evento vem também para trazer essas informações de forma bem pedagógica, para que os montes-clarenses possam entender que fazemos parte do processo de construção da cidade”, ressalta a coordenador da Aliança. 

Letícia informou que o prefeito de Montes Claros, Humberto Souto, foi convidado, como poder público, para participar da abertura dos eventos, mas de acordo com ela, recusou o convite. Procurada pelo O NORTE, a prefeitura não retornou.

Compartilhar
Logotipo O NorteLogotipo O Norte
E-MAIL:jornalismo@onorte.net
ENDEREÇO:Rua Justino CâmaraCentro - Montes Claros - MGCEP: 39400-010
O Norte© Copyright 2023Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por