Samuel Nunes


Repórter


samuelnunes@onorte.net





Os anos se passaram e mesmo com toda evolução tecnológica lavar roupas continua não sendo uma tarefa fácil. A tecnologia trouxe a máquina de lavar, o que facilitou o trabalho, mas muitas mulheres continuam usando a velha escova e o tanque para realizar a atividade.



Em Montes Claros a profissão de lavadeira é um meio de muitas mulheres criarem os filhos e com isso ajudar no orçamento familiar.



Na cidade existem lavadeiras que trabalham em casa e outras em lavanderias espalhadas pela cidade. Bairros como Major Prates, Maracanã, Santos Reis e Vila Exposição têm lavanderias comunitárias que empregam várias mulheres.



A lavanderia do bairro Vila Exposição existe há mais de 30 anos e emprega cerca de 18 mulheres, ajudando de maneira relevante várias famílias, funcionando de segunda a sexta-feira, de 7hs às 19hs.



De acordo com a lavadeira Ivanilde Rosa Santos, uma trouxa de roupa é lavada por R$20 ou R$ 30,00. Sobre a diferença de preço ela explica que algumas roupas são mais difíceis de lavar e passar e que, portanto, é justa.



- Aqui cada lavadeira tem sua trouxa de roupa para lavar e passar. Algumas têm ajudantes pagando por seus serviços com uma parte do que recebe. O que se sobra é lucro, pois aqui não pagamos nem água nem luz, quem paga pelas contas é a prefeitura - diz.



ORGULHO



Diz um ditado que quem deseja ter sucesso na profissão precisa gostar do que faz. Esta é uma realidade que a reportagem de O Norte encontrou na lavanderia do bairro Vila Exposição. É um ambiente alegre, onde as pessoas trabalham com amor e carinho.



- Eu, por exemplo, amo o que faço – diz Irisvânia Rosa que acrescenta que ajuda no sustento da sua casa com o dinheiro ganho na lavanderia do bairro.






A tecnologia trouxe a máquina de lavar, mas muitas lavadeiras continuam usando a velha escova e o tanque (fotos: Wilson Medeiros)



Com orgulho, Zelita Pereira de Jesus, que há mais de 20 anos trabalha no ofício, afirma que tudo que tem em sua casa foi comprado com muito trabalho e suor na lavagem de roupa.



- Amo de paixão o que faço; meus três filhos foram criados através do dinheiro ganho aqui - diz.



Zelita afirma ainda que pessoas de outros bairros da cidade como Santa Rita, Major Prates, Ibituruna e Jardim São Luiz trazem roupas para serem lavadas pelas lavadeiras da Vila Exposição, pagando por mês, outras, à vista.