O simples ato de ir e vir, comum em todas as cidades, tem sido um grande problema para moradores de duas ruas de Montes Claros. Sem a infraestrutura adequada, como drenagem e asfalto, a situação piorou muito nos últimos dias, após as fortes chuvas que têm caído no município.

O cenário impõe aos moradores a convivência com água parada, esgoto a céu aberto e crateras nas ruas Lagoa Monteiro, no bairro Santa Laura, e Eustáquio Pereira, no Interlagos.

A situação na rua Lagoa Monteiro é tão crítica que a moradora Marilene da Silva Oliveira lançou, no ano passado, o movimento “Você de olho, rua intransitável”. O objetivo é cobrar providências do poder público municipal e alertar os moradores sobre a falta de segurança que representa o abandono da via.

“Aqui tem tudo, lixo e até esgoto que vem lá de cima, por isso eu fiz essa plaquinha”, conta, mostrando o objeto com o nome do movimento de protesto e alerta. Marilene disse que há muito tempo nenhum veículo circula no local.

No momento em que conversava com a reportagem de O NORTE, dois agentes comunitários de saúde faziam controle da dengue no local, pois a possibilidade da presença de larvas do mosquito Aedes aegypti nos pontos de alagamento e nos buracos existentes na rua é grande.

A cratera que se abriu na rua Lagoa Monteiro com as últimas chuvas expõe o pesadelo que vivem os moradores. A via de acesso não tem drenagem, bocas de lobo e tubulações para escoar a água da chuva, que em outubro do ano passado já havia estourado a rede de esgoto da Copasa.

As inundações agravaram o problema, porque, além do verdadeiro lamaçal, os alagamentos levaram lixo, material de construção e esgoto rua abaixo.

CADÊ A RUA? – José Ronaldo mostra situação caótica da Eustáquio Pereira

CADÊ A RUA? – José Ronaldo mostra situação caótica da Eustáquio Pereira


Lixo arrastado pela chuva cai em lagoa
Drama parecido ao dos moradores da rua Lagoa Monteiro, no Santa Laura, é vivido por quem está na rua Eustáquio Pereira, no bairro Interlagos. Além da falta de escoamento de água, a via está tão esburacada que expõe a tubulação da Copasa.

Localizada entre a rua Jorge Correia de Brito e a avenida Francisco Peres, divisa dos bairros Santa Laura e Interlagos, a via fica a cada dia mais intransitável por receber a terra, o lixo e material de construção de duas ruas do bairro Santa Laura. Sem barramentos, toda essa matéria vai parar dentro do maior espelho d’água da cidade – a Lagoa de Interlagos.

O aposentado José Ronaldo, que se vangloria por ser o primeiro morador da rua Eustáquio Pereira, frisou ontem que o problema é cada dia pior. “A situação não é brincadeira, pois não temos escoamento e, quando a água desce forte, o quintal de casa vira uma piscina”, conta, ressaltando que o mesmo problema acontece com os vizinhos.

“Eles (a prefeitura) vieram aqui, olharam e garantiram que iriam asfaltar, mas está aí desse jeito”, lamenta José Ronaldo. Outro agravante na região é que, como a via de acesso começa na orla da Lagoa de Interlagos, “quando chove, nem mesmo a pé é possível chegar em casa, é como se a lagoa abraçasse a rua inteira”.

A Prefeitura de Montes Claros foi procurada, mas não respondeu até o fechamento desta edição.

CAOS – Enxurrada que desce com lixo e esgoto pela Eustáquio Pereira cai na Lagoa de Interlagos

CAOS – Enxurrada que desce com lixo e esgoto pela Eustáquio Pereira cai na Lagoa de Interlagos