Os comerciantes de Montes Claros voltaram a respirar nesta segunda-feira com a reabertura de várias atividades após a cidade sair da “Onda Roxa” do programa estadual Minas Consciente. A retomada foi possível porque o município apresentou uma queda na taxa da transmissão do novo coronavírus e teve uma redução na taxa de ocupação de leitos.

Segundo balanço divulgado pelo Setor de Epidemiologia de Montes Claros na última sexta-feira, a ocupação de leitos clínicos para Covid-19 estava em 62%, a de UTI estava em 110% e a de suporte ventilatório, 84%. Há algumas semanas todos ficaram, por vários dias, acima de 100%.

Para deixar claras as regras de funcionamento, a prefeitura publicou um novo decreto no último sábado, dia em que a cidade registrou 401 novos casos da doença, totalizando 28.852 confirmações e 646 mortes – oito a mais em 24 horas.

O Decreto 4197 flexibiliza as atividades em Montes Claros até 21 de abril. O documento autorizou a reabertura das academias com até 30% da capacidade e permitiu a prática de atividade física em via pública. Mas os parques continuam fechados. 

As igrejas voltam a funcionar com a presença de fiéis em celebrações e cultos religiosos, desde que sejam respeitados o distanciamento de 2 metros e a limitação de 20% da capacidade.

As lojas de produtos não essenciais voltam a funcionar de portas abertas. A medida dá um respiro aos comerciantes, depois de várias semanas sem poder exercer integralmente as atividades. A decisão atende em parte o pleito das entidades classistas.

“O principal para nós, da área produtiva, é que alguns comércios e serviços retomem as atividades, mesmo com restrição da capacidade. Já foi um passo importante. Foram quase 40 dias de fechamento e as empresas estão em colapso. Alguns serviços, como área da beleza, academias, bares e restaurantes, que estão sofrendo muito, vão atender com restrições, com agendamentos, mas já alivia. A economia não aguenta mais”, declara Ernandes Ferreira, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Montes Claros.
 
SEM RELAXAR
Ele alerta, no entanto, que a manutenção dessas medidas vai depender muito da atitude da população. “A gente tem trabalhado com conscienti-zação. Não relaxar com medidas de prevenção. É isso que ajuda a manter o comércio funcionando e segura uma demanda para não sobrecarregar os hospitais”, reforça Ernandes.

O presidente da CDL destaca que a próxima semana é crucial para avaliar a evolução do comportamento da população frente às medidas e uma possível liberação de outros segmentos que estão no radar para reabrir.
 
VÍDEO
A Abrasel, que representa bares e restaurantes, fez um vídeo direcionado à categoria salientando a importância da flexibilização. Para Rodrigo de Paula, presidente da Abrasel Regional, se a flexibilização for mantida, muitos empregos poderão ser salvos.

“É um momento importante para a atividade econômica e os empreendimentos poderão novamente fazer contratações, diminuindo o desemprego. A ‘Onda Vermelha’ tem um avanço controlado e responsável”, afirmou Rodrigo.

Ricardo Rocha, proprietário de restaurante, afirma estar satisfeito com o retorno das atividades. “Pedimos compreensão, caso o atendimento e agilidade não estejam a gosto. Estaremos retomando o quadro de funcionários de acordo com o funcionamento diário. Nossa situação está crítica, mas estamos loucos para voltar ao trabalho. Ficar esses dias parados nos machucou muito. A casa foi feita com muito carinho e trabalhamos com todo respeito e higienização”, pontuou.