Elas são Ana, Luciana, Teresinha, Amanda, Jussara, Maria Aparecida, Sara, Marilda, Cláudia, Beatriz, Berenice e tantas outras. Todas moradoras de diferentes bairros de Montes Claros, como Santo Amaro, Olga Benário, Santa Rafaela, Vila Sion, Jaraguá, Maracanã, Alterosa e Vila Luiza. Juntas, dão vida ao projeto “Elas por Elas”, que nasceu em junho de 2019 em um evento destinado a mulheres empreendedoras na área da beleza.

“Nós observamos que nem todas as mulheres e, principalmente, as da periferia de Montes Claros tinham acesso a este universo do autocuidado. A ideia primeira era distribuir, em uma periferia específica, sacolas com kits de higiene e beleza feminina”, diz a fundadora do projeto, Bibiane Barbosa Alves, historiadora e psicopedagoga.

Ela conta que a sacola de cuidado, composta de produtos doados, como sabonete, shampoo, condicionador, desodorante, lixas de unha, chiquinha para o cabelo, pente, creme dental, batom, pinça, alicate de unha, acetona, algodão e esmalte, deixou de ser uma simples doação pontual para se transformar em projeto, que leva mais do que cuidados, promove autoestima. Mas, com a pandemia, o nível de doações caiu.

O projeto de empoderamento através do autocuidado atua de forma itinerante, coletivamente, com voluntárias. Sem fins lucrativos, político-partidários ou religiosos, elas têm multiplicado as ações. Mas para fazer acontecer, continuam precisando, e muito, das doações. Mesmo assim, elas não param.
 
VISITAS
Apesar da pandemia, as ações continuam, por meio de visitas, da escuta afetiva, com um questionário destinado a compreender quem é essa mulher, de onde vem, desafios, sonhos e desejos. 

“Às vezes vou sozinha, em outras, com mais uma voluntária. Hoje, mantemos todo o cuidado dentro das normas de prevenção: utilizamos álcool em gel, luvas, máscaras e distanciamento. Também arrecadamos cestas básicas e vamos de carro e deixamos na porta”, conta Bibiane.

O projeto tem o apoio de mulheres nas diversas áreas: jurídica, terapêutica, saúde, educação, comunicação, donas de casa, empreendedoras, empresárias e coletivos femininos espalhados pela cidade.

“A campanha de arrecadação dos kits acontece o ano inteiro. A ideia é que cada mês uma periferia seja atendida. O projeto ganha mais força e intensidade em março, mês da mulher. Também estamos com a campanha de arrecadação de calcinhas para mulheres em vulnerabilidade social e moradoras de rua”, explica.

Uma das mulheres atendidas pelo projeto é Berenice Veloso, de 57 anos. Moradora do bairro Jaraguá 2, ela conta que ficou muito feliz com a “linda sacola com produtos”. “Fiquei muito feliz pela atenção que eu recebi”, diz.
 
NOVAS REALIDADES
Ariane Galdino, jornalista e empresária da Cris Joias, tem abraçado a missão de mobilizar e viabilizar novas realidades. Ela fez algumas parcerias e vê que se trata de um projeto muito especial, afinal atende periferias com mulheres em diversas condições de vida. 

“Recebemos na porta da loja, higienizamos as doações com álcool líquido e a ideia é ficarem quietinhas lá pelo menos 24 horas. É um projeto idôneo e que nesse momento precisa não só de doações, mas também de boas parcerias”, afirma.

Para conhecer mais sobre o projeto, basta seguir a página no Facebook Elas por Elas, pelo Instagram @elas.empoderadas e pelo WhatsApp (38) 99944-1889 e nos pontos de arrecadação espalhados por toda a cidade.