Moradores de Montes Claros receberam, no dia 20 dezembro de 2019, o que deveria ser considerado um presente para a cidade. A prefeitura inaugurou a avenida Manoel Caribé Filho, que margeia o córrego Vargem Grande, com 3,6 quilômetros de extensão. No entanto, o que deveria ser benefício para a população pode se transformar em uma grande dor de cabeça.

A via, que custou R$ 11,5 milhões, foi entregue pelo prefeito Humberto Souto sem finalização das calçadas, sem iluminação e, acima de tudo, sem que a Secretaria de Serviços Urbanos tenha conseguido dar fim ao lixão que se formou no início da avenida, no bairro Canelas.

Durante a solenidade de inauguração – realizada apesar dos problemas –, com reduzido público, o chefe do Executivo municipal atacou os vereadores que pedem intervenção na prefeitura em face das “pedaladas” nas prestações de contas de 2017 e 2018. Há suspeita de fraudes nos documentos enviados ao Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCE-MG), questão levada aos ministérios públicos Federal e Estadual.

O trecho entregue em dezembro, que sequer tem posteamento, liga a avenida Francisco Gaetani à rotatória da avenida do Córrego Bicano, na altura do Conjunto Joaquim Costa. Na margem direita, o lixão a céu aberto representa risco à saúde pública, agravado nesse período chuvoso pela facilidade de formação de focos do Aedes aegypti.

Perigo que, aliado à escuridão, ameaça moradores de uma das regiões com maior densidade populacional da cidade.
 
PERIGO 
Na manhã de ontem, o casal Manoel Corrêa e Celina de Lourdes Lopes, moradores do bairro Santo Expedito, fazia caminhada nas primeiras horas do dia. “Justamente pela ausência de luz”, lamenta o aposentado. “O que todo mundo quer é uma avenida iluminada”, diz. Celina afirma que ninguém tem coragem de passar pelo local à noite. “Mesmo de moto ou carro é arriscado”, enfatiza.

A estudante Brenda Assunção, moradora do Canelas, também foi ao local caminhar. “Sem iluminação, não dá para fazer a caminhada à noite, porque a avenida fica muito escura. E, mesmo quando passo aqui de carro, realmente a ausência de luz preocupa, pois o ambiente propicia a criminalidade”.

A promotora de vendas Larissa Pimenta Santana, que reside no Conjunto Joaquim Costa, reclama ainda das calçadas sem finalização. “A avenida passa lá e está faltando a calçada em alguns pontos”, cita. No entanto, ela ressalta que o principal problema é a falta iluminação. 

SEM LUZ – Celina e Manoel reclamam da escuridão: caminhada, só demanhã

SEM LUZ – Celina e Manoel reclamam da escuridão: caminhada, só demanhã

Escuro e lixo continuam
A escuridão deve permanecer na avenida Manoel Caribé Filho ainda por muitas semanas. A Prefeitura de Montes Claros irá fazer a licitação do projeto somente neste mês.

O secretário de Infraestrutura e Planejamento Urbano, Guilherme Guimarães, alega que “os projetos da rede de iluminação das avenidas Manoel Caribé, Doutor Alvimar Gonçalves Oliveira e Antônio Lafetá Rebelo foram concluídos e serão licitados ainda neste mês”.

Segundo o engenheiro, faltam apenas “a definição de alguns greides das calçadas no final da avenida Caribé e tão logo seja concluída a licitação e a pavimentação, serão instalados os postes, fiação e luminárias de LED”.

O secretário afirmou que as obras devem ser concluídas em junho deste ano. “Entretanto, a expectativa é a de que o Bicano esteja concluído em fevereiro e a Vargem Grande em abril”.
 
LIXÃO
O descarte de lixo irregular às margens da avenida Manoel Caribé Filho ainda é um desafio para o município. O secretário de Serviços Urbanos, Vinícius Versiani, informou que foi contratada uma empresa de Goiânia que está realizando estudos de campo para desenvolver o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. O projeto irá detalhar problemas como o descarte às margens da avenida recém-inaugurada.

“Nossa ideia é fazer a transição de lixo e entulho dos carroceiros para veículos e, desse modo, recolhidos através da prestação de serviços, sejam depositados diretamente no Aterro Sanitário, às margens da BR-365. Com isso, evitaríamos o tráfego de carroças e a criação de animais, mas é o estudo científico que vai nortear nossas decisões”, ressaltou Versiani.
 
CADASTRO
A engenheira ambiental Camila Cândido foi contratada pela Prefeitura de Montes Claros para fazer o cadastro de todos os carroceiros e, “de posse desses dados, colocá-los em alguns lugares”.

Hoje será realizada uma reunião no local com todos eles. A intenção da administração, segundo a engenheira, é arrumar um lugar melhor. “Esse descarte aqui não pode continuar, ainda mais agora ao lado de uma avenida recém-inaugurada”, disse.

LIXÃO – Acúmulo de resíduos e água às margens da nova avenida oferecem risco à saúde pública

LIXÃO – Acúmulo de resíduos e água às margens da nova avenida oferecem risco à saúde pública