Uma reunião entre a secretária de Saúde, Dulce Pimenta, o procurador do Município, Otávio Rocha, e o prefeito, Humberto Souto, realizada ontem pode ter definido o rumo do funcionamento do comércio em Montes Claros nos próximos dias. Nas redes sociais, a abertura do comércio na próxima semana já é dada como certa e circulam informações de que o decreto já estaria pronto, aguardando apenas a publicação, prevista para este sábado.

O sistema adotado seria similar ao lançado pelo governo do Estado com o Programa “Minas Consciente”, que estipula ondas de risco das atividades econômicas, identificadas por cores. A Verde indica serviços essenciais, que não chegaram a sofrer interrupção desde o início da pandemia. 

A chamada “Onda Branca”, que ao que tudo indica é a que será adotada em Montes Claros, inclui atividades de baixo risco (veja no infográfico abaixo).

A “Onda Amarela” se refere a atividades de médio risco. E a Vermelha representa as atividades de alto risco para contaminação pelo coronavírus. O governo do Estado deu autonomia para que cada prefeitura decida se vai ou não aderir ao sistema.

Na tarde de quinta-feira, por meio de uma videoconferência, o prefeito Humberto Souto sinalizou que a abertura poderia acontecer de maneira gradual e que qualquer tomada de decisão seria muito difícil, mas que a equipe estaria “quebrando a cabeça” para uma pequena flexibilização em algumas áreas comerciais, e que agiria de acordo com as orientações da Secretaria de Saúde.

“Faço tudo orientado pela saúde, porque não quero amanhã ser responsável de cometer um ato, uma irresponsabilidade, e a cidade ser invadida (pelo vírus) e morrer centenas ou milhares de pessoas. É uma responsabilidade que transferi para a Secretaria de Saúde e só vamos fazer se eles disserem que podemos fazer com segurança. Abriríamos, por exemplo, por 15 dias. Se houver aumento (de casos), podemos retroceder”, declarou o prefeito.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Montes Claros, Ernandes Ferreira, disse que tudo teve início após uma reunião de entidades de classe com representantes do Legislativo e do Executivo, pleiteando a abertura gradual do comércio, diante da enorme demanda dos comerciantes.

“A expectativa é que esta flexibilização venha, acho que ela vai ser natural. O principal hoje é a prevenção, com uso de máscaras, higienização com álcool em gel, distanciamento. São cuidados que não estão fora do controle até mesmo do pequeno comerciante. Eles conseguem bancar isso”.

A secretária de Saúde, Dulce Pimenta, e o procurador, Otávio Rocha, não retornaram às ligações até o fechamento da edição.