Animais soltos em bairros e vias centrais vêm chamando a atenção de moradores de Montes Claros nos últimos dias. Parte da população aponta como causas do problema abandono e maus -tratos dos donos e pede fiscalização rigorosa do município.

“A caminho do trabalho me deparei com um cavalo agonizando. Outras pessoas que passavam pelo local me falaram que ele estava solto e andando, até que não aguentou mais e caiu. Estava ferido. Lembrei de uma pessoa que atua na proteção de animais e liguei para ela, que acionou os órgãos responsáveis para recolhê-lo. Mas é uma cena comum no bairro e bastante triste. Muitas vezes os animais são abandonados pelos donos”, diz o eletricista Paulo A. E..

O caso foi no bairro Alcides Rabelo e a defensora de animais acionada pelo eletricista, Cláudia Bacchi, afirma ter recebido quatro relatos semelhantes em outros pontos da cidade este mês. Em 90% dos casos, as denúncias são anônimas.

“Além do abandono, que traz um enorme prejuízo ao animal, quase sempre ele está em condições terríveis. Recentemente houve um cavalo que se enroscou em arame farpado e outro visivelmente sobrecarregado conduzindo uma carroça”, diz, pedindo maior fiscalização do poder público.

“Precisamos é de uma lei severa que puna este tipo de trabalho de tração animal ou o abandono, porque quando os animais estão doentes são largados nos lotes, e nós, protetores, acabamos nos tornando responsáveis pelas atitudes dos irresponsáveis. Gastos com consultas, remédios e cirurgia, se for o caso, lar temporário em caso de animal de menor porte, alimentação e uma infinidade de coisas. O irresponsável sai livre, leve e solto pelo crime que comete. Nem cadeia, nem multa”, pontua, ressaltando que nas ocorrências com animais de grande porte acionou a prefeitura, que os recolheu ao curral municipal.


Projeto prevê punição
Tramita na Câmara Municipal um projeto de autoria do vereador Stalin Cordeiro que propõe penalidades por abandono e maus-tratos de animais. 

“O projeto visa a proteção não só de animais de tração, mas de toda fauna no âmbito municipal, uma vez que há carência de ações administrativas para coibir maus-tratos em Montes Claros. O desejo é somar, frente ao apelo de tantos protetores e ONGs que fazem este enfrentamento diariamente. Inicialmente tem a previsão de advertência escrita e depois multa simples e multa diária, com infrações leves, graves e gravíssimas”, diz, ressaltando que a capacidade econômica do infrator também será levada em conta na aplicação da penalidade. 

Questionado sobre mecanismos de identificação do autor no caso de abandono, o vereador pontuou que estão sendo feitos ajustes no texto do projeto e que a ajuda da sociedade, assim como em qualquer tipo de denúncia, é essencial para a prática.

De acordo com o Secretário de Serviços Urbanos, Guilherme Guimarães, os animais, quando recolhidos, ficam no curral. Atualmente estão lá 38. “Caso não seja reclamado pelo dono, em 30 dias pode ser levado a leilão. No curral eles recebem feno, água e cuidados veterinários, mas o município atua diante de denúncias feitas na secretaria”, diz Guilherme.