Pedestres são o “alvo” preferido dos criminosos em Montes Claros. Em 2019, 64% dos roubos na cidade tiveram como vítima quem estava a pé. Na maioria dos casos, os bandidos queriam o celular da vítima.

De janeiro a maio deste ano, houve 520 ocorrências de roubo no município, sendo 334 contra pedestres. O levantamento foi feito com base no portal Minas em Números, do governo do Estado.

A empresária Laila Carvalho ficou sem o celular enquanto aguardava ônibus no bairro JK. “Falava ao telefone quando fui abordada com violência. Cheguei a cair e me machuquei. Eu usava muito o celular para marcar horários de clientes. Então, por mais que tivesse receio, tinha que fazer uso do aparelho em horas e locais distintos. Hoje tomo mais cuidado, mas admito que, vez ou outra, me arrisco”.

No Centro de Montes Claros, a equipe de O NORTE flagrou pessoas conversando ao celular em locais públicos enquanto caminhavam. A postura é desaconselhada pelo Polícia Militar, que alerta que no momento de desatenção a pessoa pode se tornar uma vítima em potencial para ladrões.

De acordo com o chefe da seção de Planejamento e Operações da 11ª Região da Polícia Militar, major Wellington, mais de 80% dos roubos e furtos em Montes Claros têm os aparelhos celulares como objetivo principal.

O militar afirma ainda que houve uma redução de mais 50% de roubos na cidade. O policial lembra que a Polícia Militar tem hoje 12 bases de Segurança Comunitária espalhadas pela cidade.

“Esta ação com viaturas em locais estratégicos tem aumentado tanto a segurança objetiva como também a sensação de segurança”, disse o militar, que afirmou ainda contar com a ajuda da população.

“O roubo de aparelhos celulares é a maior modalidade na cidade. São cuidados simples, como não utilizar ou deixar o aparelho à mostra, para não atrair a ação dos criminosos. A postura de autoproteção ajuda numa redução ainda maior”, disse.

O major explicou ainda que, em conjunto com o Ministério Público, o serviço de inteligência da polícia tem realizado operações a fim de localizar aparelhos roubados.

O Estado conta, há um ano, por intermédio da Secretaria de Segurança Pública, com a Central de Bloqueio de Celulares (Cbloc), onde a vítima pode solicitar, pela plataforma digital, o bloqueio do aparelho roubado.

O objetivo é, além de evitar que os criminosos tenham acesso a dados sigilosos contidos no aparelho, inibir futuros roubos de celulares. O endereço é cbloc.seguranca.mg.gov.br.