Os hospitais fizeram o alerta sobre o aumento na ocupação de leitos, de uma forma geral, em Montes Claros e a prefeitura reabriu o Hospital Alpheu de Quadros, antes restrito ao atendimento de pacientes com Covid-19, para casos clínicos de urgência e emergência.

Desde o final de 2020, a unidade de saúde municipal atendia apenas casos suspeitos de Covid-19. No entanto, os hospitais da cidade vêm registrando, nos últimos dias, um aumento na procura tanto de pacientes contaminados pelo novo coronavírus quanto acometidos por outros problemas de saúde, o que acendeu a luz vermelha no sistema. 

A secretária Municipal de Saúde, Dulce Pimenta, informou que o retorno do atendimento a outros casos no Alpheu de Quadros não exclui o atendimento de pacientes com Covid. A unidade mantém uma ala voltada para esse público, funcionando como Hospital de Campanha.

“Abrimos mais uma porta para atender os casos agudos e, com isso, desafogamos um pouco o pronto-atendimento dos hospitais”, declarou em entrevista à TV local. No entanto, o município não detalhou que tipo de atendimento tem sido mais demandado a ponto de provocar lotação total dos hospitais.

No balanço disponibilizado pela prefeitura na última segunda-feira, a ocupação dos leitos clínicos não-Covid estava em 106%, enquanto os de Covid registravam 51% de ocupação. 

Para a superintendente do Hospital Universitário Clemente de Faria (HU), Priscilla Izabella Fonseca Barros, a falta de leitos na região sempre foi uma situação recorrente, porém, a pandemia agravou o quadro. Referência para diversas patologias, o HU tem recebido demanda por atendimentos para clínica, cirurgia geral e ortopedia.

“O hospital superlotou e estamos atendendo acima da capacidade em razão da sobreposição de pacientes Covid e não Covid”, disse Priscila.
 
PORTAS FECHADAS PARA COVID
Na Santa Casa, a situação dos leitos não Covid está sob controle. A busca é principalmente para os casos de traumas, neuro e oncologia. Em relação aos leitos de Covid, tanto os clínicos adulto e os de CTI Covid SUS estão com alta ocupação. Desse modo, o hospital informou que não está recebendo pacientes suspeitos ou confirmados para a doença. 

Já o Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro está recebendo apenas pacientes Covid-19 referenciados. Dos 25 leitos de suporte ventilatório, 12 estão ocupados; dos 32 leitos clínicos Covid, 30 estão ocupados. Na UTI Covid são 36 leitos com 21 ocupados e, na UTI geral, dos dez leitos, seis estão ocupados. Outros atendimentos como clínica médica, pediatria, UTI neonatal, geral e maternidade particular e convênio continuam. 

MANTER CUIDADOS
De acordo com Samuel Lima, responsável pela regulação do HC, “houve um crescimento na ocupação de leitos clínicos e, considerando o caráter evolutivo da Covid, pode haver um comprometimento do sistema. Desse modo, a recomendação é para que a população continue com os cuidados habituais, como uso constante de máscara, álcool em gel e distanciamento”, orienta Samuel.

Os hospitais Aroldo Tourinho e Dilson Godinho não enviaram nota. De acordo com o boletim divulgado pelo município, referente ao dia 1º de junho, a ocupação de leitos não-Covid no Aroldo Tourinho estava em 153% e os de Covid, 43%. Já no Dilson Godinho, o índice estava em 121% para não-Covid e 19% para Covid.