O Corpo de Bombeiros em Minas tem tido muito trabalho em 2019. Até agosto deste ano, 11.960 queimadas foram registradas. O aumento é de 44%, se comparado a igual período de 2018, quando o socorro foi solicitado 8.251 vezes.

O total de hectares devastado chega a 3,3 mil, apenas nas unidades de conservação. Para se ter uma ideia do estrago, é como se 3,3 mil campos de futebol tivessem virado cinzas. Equipes de combate, no entanto, acreditam que há subnotificação, pois parte dos danos não foi calculada.

O clima seco, típico desta época do ano, favorece a proliferação de focos de incêndio. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semad) reforça que, neste período, o Previncêndio tem mais trabalho no combate às queimadas. 

Os termômetros em alta e a umidade baixa tendem a se intensificar em setembro. Em Montes Claros, os termômetros bateram os 40 graus na semana passada e a umidade do ar tem ficado
em torno de 15% a 18%.