Depois de duas gestões como vice-presidente da 11ª subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Montes Claros, o advogado Herbert Alcântara foi eleito, no último dia 27, para presidir o órgão pelos próximos três anos (2022-2024).

Tendo como vice-presidente a advogada Graciete Prioto, a chapa “Pelo Bem da Ordem, Forte, Inovadora e Diversa” recebeu 702 dos 970 votos depositados na urna. 

Nascido em Salinas, Herbert se formou há 13 anos pela Unimontes. Se mudou para Montes Claros para cursar o ensino médio e fez da cidade a sua terra. Nesta sexta-feira, tornou-se definitivamente Cidadão Honorário de Montes Claros. O título, de autoria do vereador Stalin Cordeiro (Podemos), foi aprovado por unanimidade. O advogado conversou com O NORTE sobre os desafios e projetos para a sua gestão. 
 
Depois de duas vezes atuando como vice-presidente, o que muda agora com sua eleição para presidente da OAB?
A experiência de ter sido vice duas vezes possibilita que nós tenhamos uma maturidade gerencial muito grande, porque enfrentamos todas as dificuldades juntamente com dr. André Crisós-tomo, presidente da OAB nos últimos seis anos. Nós sabemos quais são as dificuldades e avançaremos na solução e diminuição dos problemas que a classe enfrenta.
 
Quais são as principais deficiências/desafios na OAB atualmente? 
Assim como em toda sociedade, existem algumas crises e algumas deficiências que nós enfrentaremos com certeza nessa gestão. Com muita união, inovação e lealdade institucional avançaremos nessas pautas, em especial na tentativa de possibilitar que o prazo processual seja diminuído e tenhamos uma celeridade processual para que o cidadão receba mais rápido aquele direito que ele tanto espera.
 
Qual será a prioridade do seu mandato? Tem algum projeto imediato para ser colocado em prática?
Iremos às instituições de ensino e ao TJMG para dar efetividade, por meio de colaboração efetiva, de mão de obra com professores e estagiários na tentativa de acelerar os trâmites processuais diminuindo os prazos entre a distribuição da ação e a sentença. Esse é o nosso projeto imediato, que nós colocamos como número 1 na valorização da advocacia e, com certeza, se for exitoso, todos vão ganhar. A advocacia ganha, o judiciário ganha, a sociedade vai ganhar. Cuidar da advocacia, acolher a advocacia jovem, a sênior e a mulher advogada.
 
Você tem como vice uma mulher e outras mulheres compõem o conselho da OAB. Qual a importância dessa representatividade?
A participação de nossa vice Graciete e outras valorosas colegas advogadas vai validar e nos ajudar a olhar de forma objetiva, com ações efetivas, na diminuição das dificuldades da mulher advogada. Em especial a advogada mãe, que necessita ter um cuidado para que continue trabalhando na advocacia. Temos projetos nessa área e com a participação das advogadas no nosso mandato, iremos avançar e concluir todos estes projetos com eficiência.
 
Com a pandemia ainda em curso, o que a OAB tem feito ou vai fazer no sentido de acolher os profissionais do setor? 
A pandemia trouxe dificuldades sociais e, consequentemente, atingiu também a nossa classe. Temos um olhar específico de expandir em várias áreas de acolhimento, em especial a área financeira. Vamos buscar parcerias com instituições para juros mais baratos para a advocacia e tentar junto à seccional criar a primeira cooperativa de crédito para a advocacia de Minas. Tudo isso são pautas para dar conforto aos profissionais. 
 
Qual é o principal papel do advogado na sociedade atual?
O principal papel do advogado na sociedade é defender o cidadão. Ele é a voz do cidadão e constitucionalmente previsto. Só existe justiça porque tem o advogado. Sem ele não teríamos direito, não teríamos justiça fazendo o papel para o qual foi institucionalizada. Ele é primordial para dar voz aos direitos do cidadão. Conforme nosso slogan diz, uma OAB mais forte, inovadora e diversa, pautada na valorização do advogado, passa pela potencialidade de exercer uma advocacia de forma digna, conseguir trabalhar entregando para o cliente o direito e, consequentemente, sendo valorado através dos honorários. Temos um olhar especial para a inovação na comunicação avançada entre OAB, colegas advogados e sociedade.

Existem parcerias com subseções? 
Está na nossa pauta fazer parcerias e convênios com as subseções da região. Eu entendo que Montes Claros é a capital do Norte de Minas e, por ser essa referência, os colegas advogados das outras subseções necessitam desse acolhimento na cidade. A OAB estará aberta a todos e de maneira objetiva vamos auxiliar colegas inscritos em outras subse-ções, mas que tenham atuação na região.
 
Como fica a relação da subseção local com a eleição do advogado Sérgio Leonardo para presidente estadual?
A eleição do Sérgio Leonardo é pautada por muita alegria. Ele é muito preparado, vem de uma família de ex-presidentes da Ordem. O pai e o avô foram presidentes de seccional e ele demonstra um preparo familiar e institucional por ter exercido outros cargos também. Com a OAB de Montes Claros sendo um braço da seccional aqui na região, tenho certeza que ele vai olhar com muito carinho e atenção, transformando Montes Claros em protagonista para nossa região.
 
Qual a sua mensagem para a sociedade e para os colegas advogados? O que eles podem esperar do Herbert Alcântara como presidente?
Nossa mensagem para a sociedade como representante da OAB é transmitir muita seriedade e responsabilidade perante a função do cargo. A OAB é a instituição civil mais respeitada, por ser ela que defende os direitos do cidadão. Com uma OAB forte, o cidadão será sempre respeitado. Podem contar conosco nessas pautas tão importantes da sociedade e na busca incansável para valorização e respeito do advogado.