Railda Botelho


Repórter



O Sindicato dos mototaxistas, reativado recentemente com nova eleição, se pronuncia sobre medida adotada pela Transmontes - Empresa municipal de transportes e trânsito de Montes Claros, através de sua gerente administrativa Ana Luiza Pires. Segundo ela, em breve todos os mototaxistas que se encontrarem trabalhando de forma irregular na cidade poderão ser advertidos e multados pelo órgão, através de uma comissão formada recentemente, e da qual fazem parte a presidente da Transmontes Ivana Colen Brandão, o secretario de Planejamento Guilherme Guimarães, o vice-prefeito Sued Botelho, o procurador geral do município Otávio Augusto, o secretário municipal Serviços Urbanos Jessé Lima, e o secretário municipal da Fazenda Henrique Veloso.



A comissão estuda estratégias de fiscalização, cujo parecer inicial se dará dentro de dois meses, prazo estabelecido pela própria prefeitura. Pesquisas estão sendo feitas em outras cidades onde existe também esse tipo de transporte, para que sejam descobertas quais as medidas mais efetivas que serão efetuadas em Moc.



A gerente de transportes Ana Luiza explica que, no início deste ano, foi realizada, foi publicada portaria na imprensa convocando os mototaxistas para um recadastramento, com a distribuição de placas vermelhas, no entanto, apenas 347 desses profissionais compareceram. Normalmente, a capacidade de trabalhadores cadastrados deveria ser de 1.601, mas estima-se que a quantidade exata desses profissionais ultrapasse a casa dos cinco mil.



Ana Luíza informa, também, não ser possível realizar o cadastro atualmente, até que haja uma resposta da comissão em torno desse assunto.



A expectativa é de que o mototaxista que esteja trabalhando irregularmente seja punido pelo gerenciamento municipal de transportes públicos, da mesma forma que acontece em São Paulo com as peruas, carros particulares usados como transporte irregular, em detrimento do transporte público.



De acordo com Dimas Cordeiro Aguiar, eleito presidente do Sindicato dos mototaxistas no dia 29 de junho, quando obteve 351 dos 372 votos válidos, a classe tenta se organizar para se valorizar e combater a clandestinidade, objetivando com isso combater também o número de crimes praticados contra os profissionais desse tipo de serviço, que ficam totalmente à mercê de bandidos que os escolhem propositalmente como presas fáceis.



Dimas afirma que o baixo comparecimento às urnas se deve ao fato de a classe encontrar-se desacreditada e desgastada em virtude das altas taxas que são cobradas, quando muitos deles não têm condições de saldar seus compromissos. Ele informa que o sindicato conta com 610 profissionais em dia com suas obrigações e a com a Transmontes.



- Acredito que a padronização da cor das placas e dos coletes que serão usados pelos mototaxistas cadastrados já é um grande estímulo e uma forma de nos sentirmos  amparados, principalmente no que se refere à questão da segurança e organização.



A taxa anual de ISSQN - Imposto sobre serviço de qualquer natureza, que caiu de R$ 140, para R$ 30, é outro grande incentivo a favor da categoria, conforme explica o presidente do sindicato.



A expectativa do sindicato é de que as novas medidas a serem adotadas pelo município venham realmente profissionalizar a classe e extinguir de vez a clandestinidade, no sentido de oferecer mais segurança à população. Conforme afirma Dimas Cordeiro, existem muitas pessoas que são bem empregadas e, ainda assim, aproveitam as horas vagas ou os dias de folga para realizar corridas, prejudicando os mototaxistas que vivem exclusivamente desse meio para pagar o INSS como autônomo, além de outras despesas rotineiras.



Dimas faz um alerta à população no sentido de evitar os profissionais clandestinos, já que esses não oferecem segurança alguma aos usuários de seus serviços, principalmente em casos de acidente, e o que é pior, infelizmente existem entre os profissionais que se passam por mototaxistas, e na verdade agem como mulas, ou seja, fazem entrega de drogas, inclusive para menores.



O presidente do sindicato dos mototaxistas informa que tudo pode vir a ser favorável à classe, que poderá vir a ter placas rotativas nos vários eventos que acontecem na cidade, citando a Expomontes, Fenics e Carnamontes, inclusive com fiscalização e segurança.



- Queremos fortalecer, valorizar e profissionalizar ainda mais a classe, acabando com a clandestinidade e evitando o agravamento da violência - conclui.