Montes Claros terá mais 19 leitos de UTI para tratamento de pacientes com Covid-19. O anúncio foi feito pelo governador Romeu Zema durante visita à cidade nesta sexta-feira (16).

Os novos leitos serão abertos no Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro da Silveira, porta de entrada para pacientes com suspeita de contaminação pelo coronavírus.

“Também estamos ampliando leitos que têm suporte ventilatório, com mais seis unidades em Bocaiuva. Mas sabemos que a solução definitiva de todo esse sofrimento é a vacinação. Até que a vacinação chegue a todos, precisamos fazer sacrifícios e manter os cuidados”, destaca o governador.

Segundo a assessoria do Mário Ribeiro, a unidade de saúde estava apenas aguardando a aprovação e publicação da autorização. A estimativa é a de que os novos leitos sejam abertos na próxima semana. Isso vai ajudar ainda mais a desafogar o sistema de saúde da cidade, que recebe também pacientes de outras cidades da região.

Zema também destacou que os medicamentos que integram o kit intubação, em falta em todo o Estado, gerando insegurança no atendimento a quem desenvolve a forma mais grave da doença, já chegaram e serão imediatamente distribuídos aos hospitais.

Montes Claros chegou a passar por situação de desabastecimento há algumas semanas e contou com uma mobilização em todo o Estado para conseguir recuperar o estoque.
 
VACINAÇÃO
O governador disse, após acompanhar a imunização de dois idosos e dois militares no Centro de Saúde Santos Reis, que o Estado já espera a chegada de mais 701 mil doses de vacinas contra a Covid, que devem chegar até domingo. 

Elas serão usadas para a aplicação de primeira e segunda doses em todo o Estado, ampliando a faixa etária a ser protegida. “É emocionante acompanhar a vacinação dos militares que atuam na linha de frente e dos i dosos que têm prioridade na lista. É realmente a solução definitiva para a pandemia. Sabemos que só com a vacinação em massa de todo a população é que vamos ter uma vida normal novamente”, diz o governador.

Zema estava acompanhado do secretário de Estado de Saúde, Fabio Baccheretti. “A partir de agora, receberemos as doses para o grupo de 60 a 64 anos e também preencher o grupo de trabalhadores de saúde e mais 6% das forças de segurança. Há uma expectativa de fechar esse grupo até o final do mês”, destaca.

Sobre a compra de vacinas pelo Estado para tentar acelerar o processo de imunização, Zema disse que o governo não conseguiu vacinas para aquisição. “Nós não conseguimos vacinas. Tentamos negociar. Sabemos que a solução para a pandemia são as vacinas. Entramos em contato com vários laboratórios e caso venhamos a conseguir alguma quantidade, iremos ter um processo mais acelerado em Minas do que no Brasil. A distribuição tem sido feita da forma mais ágil possível. Assim que é recebida, a vacina é encaminhada imediatamente para as regionais de saúde para que os municípios retirem. Tudo que está ao nossos alcance tem sido feito”, afirma o governador.