A partir de 10 de dezembro os eventos estarão liberados em Montes Claros, sem restrição de horário, de limitação de público ou regras de distanciamento. Mas, para ter acesso às festas, shows, bares, teatros, cinemas e outros tipos de eventos será necessário mais do que convite ou a compra de ingressos: vai ser preciso apresentar o passaporte de vacinação que comprove o ciclo completo de imunização.

A liberação consta em decreto publicado neste fim de semana pela Prefeitura de Montes Claros. A medida vale para lojas de conveniência, bares, restaurantes e similares, casas de festas e eventos, clubes de lazer e serviço, reuniões maçônicas, cinemas, shows artísticos, teatros e eventos desportivos e reuniões de qualquer natureza.

Quem não tiver o passaporte de vacinação constando as duas doses contra a Covid-19, terá que apresentar um teste negativo de RT-PCR, feito com antecedência máxima de 72 horas.

A exigência de vacinação completa não se aplica aos menores de 17 anos, que ainda estão com o ciclo vacinal em andamento. O uso da máscara em espaços coletivos abertos e fechados, bem como em vias e logradouros públicos, continua obrigatório.
 
MEDIDA APROVADA
Para Luiz Fernando Nobre, diretor regional da Associação Mineira de Eventos e Entretenimento (Amee), o decreto atende a expectativa do setor. “Era uma incoerência todas as cidades do Norte de Minas terem liberado eventos e apenas Montes Claros não ter essa liberação. Agora, com essa flexibilização, a maioria dos eventos programados para dezembro, e que seriam adiados, poderão acontecer e, com isso, vamos salvar muitos empregos”, afirma, pontuando que a exigência do passaporte de vacinação é fundamental.

“A gente viu o país controlar, em parte, a doença colocando em prática a vacinação. A eficácia dessa medida é comprovada pela queda dos índices epidemiológicos. Quando a prefeitura libera os eventos exigindo o passaporte, sem dúvida vai resolver o problema econômico e não vai prejudicar a saúde. Estamos orientando os nossos associados para que sigam o decreto e exijam o passaporte. Sem dúvida, ninguém quer que piore e que tenhamos que fechar novamente”.

A cuidadora Ester Nunes destaca que a liberação veio em boa hora, mas considera que todo cuidado ainda é necessário. Mesmo com o esquema vacinal completo, ela diz não se sentir segura. “Não é porque liberou que vou frequentar. Vai depender muito do evento. Show, por exemplo, não tenho coragem de ir. Prefiro aguardar para ver como as coisas vão caminhar. Vou continuar apenas em reuniões familiares. Todos estamos vacinados com a segunda dose”, pondera.
 
RECUPERAÇÃO
Diretor da Abrasel-Norte, Rodrigo de Paula considera que, enfim, a prefeitura abre uma possibilidade concreta de recuperação de prejuízos causados pela longa restrição aos bares e restaurantes.

“Chegou em um ótimo momento para o setor. A previsão das comemorações de fim de ano auxiliam a possibilidade de que estes empreendimentos possam se planejar nessa época, que é muito importante para a categoria”, afirma.

Para Rodrigo, essa liberação já poderia ter acontecido há mais tempo. “Encaminhamos diversos ofícios ao prefeito, ao Legislativo municipal e agradecemos o atendimento das nossas reivindicações”.

Ele anuncia que a entidade vai iniciar uma campanha para estimular a vacinação, de forma que as pessoas possam voltar a frequentar os espaços da cidade.