A combinação de calor, tempo seco e incêndios tem tornado o dia dos montes-clarenses, e dos norte-mineiros, em geral, numa verdadeira panela de pressão. O cenário é considerado crítico e exige mais cuidados com a saúde, como hidratação, principalmente com crianças e idosos.

Nesta quarta-feira, a temperatura chegou a 38 graus na maior cidade do Norte de Minas, com umidade relativa do ar entre 12% e 20%. 

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a variação da temperatura durante o dia e o clima seco são características similares às regiões desérticas. A falta de chuva, que deve seguir pelos próximos dias, agrava ainda mais a situação. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é que a umidade fique entre 50% e 80%. Números abaixo disso são prejudiciais para a saúde, podendo causar desconforto nos olhos, boca e nariz, ressecamento da pele e dores de cabeça.

“O mais importante nesse calor e baixa umidade é a hidratação oral de pelo menos 2,5 a 3 litros de água por dia. É muito importante também hidratar as vias aéreas, tanto adulto e, principalmente, em crianças para evitar o sangramento nasal (epistaxe)”, orienta o médico Álisson de Araújo, que atua no Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro da Silveira.

Segundo ele, quem usa ventilador e ar-condicionado tem mais risco de ressecamento das vias aéreas, sendo muito importante aplicar soro fisiológico nas narinas, a cada duas horas. “Quem puder, também é bom usar um climatizador ou umidificador no quarto, principalmente à noite. Outra opção é a bacia com água ou uma toalha molhada pendurada na hora de dormir. É muito importante evitar o ventilador em contato direto com o rosto”, explica Álisson de Araújo.

A previsão é a de que as altas temperaturas e o tempo seco continuem nos próximos dias devido a uma massa de ar quente que está sobre o Estado.

Banho frio, sem bucha e hidratante na pele
De acordo com o médico João Gutemberg, que atua no programa de saúde da família em Juramento, é preciso também manter a pele hidratada para que ela não sofra tanto nesse período.

“Existem algumas lesões propícias a complicações neste tipo de clima, como dermatites, psoríase, que podem piorar com a umidade baixa”, alerta. Para prevenir, ele aconselha hidratação da pele durante o dia, beber bastante água e usar hidratantes labiais.

No banho, ensina o médico, é importante que a água esteja em temperatura morna, quase fria, tomar banhos rápidos, evitar buchas, usar sabonetes neutros, secar a pele suavemente.

Gutemberg orienta ainda a evitar ambientes com fumaça, evitar a prática de esportes em locais de muita poluição e em horários de baixa umidade (das 11h às 16h), manter ambientes limpos e arejados para evitar acúmulo de pó e transmissão de vírus, como o da gripe.

Incêndios se alastram
Com o calor em alta e a umidade do ar em baixa, os incêndios ganham espaço, agravados pela ação do homem. Segundo o Corpo de Bombeiros, as chamadas para combate às chamas, tanto em área urbana, quanto rural e de conservação, não param de chegar. Na terça-feira (14), foram registradas 11 ocorrências em Montes Claros, Janaúba, Salinas e Januária. Algumas delas ainda eram combatidas ou monitoradas nesta quarta-feira. Para dar conta de atender todas as demandas, a corporação segue uma ordem de prioridade: primeiro são atendidas ocorrências que colocam em risco a vida, propriedades rurais, currais e rebanhos, casas. Um dos incêndios foi na zona rural de Brasília de Minas, em uma plantação de eucalipto e vegetação de Cerrado. Devido à intensidade das chamas e grande quantidade de fumaça, a rodovia MG- 202 teve que ser interditada por cerca de 20 minutos. 

*Com Leonardo Queiroz