Com o intuito de defender os direitos das pessoas com deficiência, uma manifestação está marcada para amanhã em várias cidades de todo o país. Em Montes Claros, o movimento ocorrerá na Praça Doutor Carlos, no Centro da cidade, às 8h.

O principal objetivo dos envolvidos é modificar a Lei Orgânica da Assistência Social (BPC/LOAS) que garante mensalmente à pessoa com deficiência, seguindo alguns critérios, um salário mínimo por um determinado tempo.

Hoje, para se conseguir o benefício, é necessário que a renda per capita da família seja de um quarto do salário mínimo (R$ 249,50). O movimento quer que essa renda seja alterada para até três salários mínimos por família.

O movimento “Eu empurro essa causa” começou com um grupo em rede social intitulado “Vida de mãe especial”, e hoje alcança mais de cem cidades pelo país e cerca de 110 mil de pessoas.

Gracielle Silva Araújo é coordenadora do grupo em Montes Claros. Mãe de uma criança com autismo, revela que a iniciativa da manifestação surgiu de alguns relatos de outras mães que estavam perdendo o benefício. As administradoras do grupo, vendo a realidade das famílias, começaram a montar esse movimento para melhorar a situação dessas famílias que se encaixam nas exigências para receber o BPC/LOAS.

Gracielle conta ainda que o movimento busca alterar mais duas diretrizes na lei: seja feita uma análise especial para casos de doenças raras; a outra é para que em casos de mais de um deficiente no mesmo núcleo familiar seja analisada a concessão de um segundo benefício. “O objetivo maior é que toda pessoa com deficiência, com renda familiar, seja incluído nesse benefício”, destaca.
*Estagiária sob supervisão do editor.