Trinta e nove acidentes em um mesmo endereço, de 2018 para cá – o mais recente, ontem, deixou um homem ferido. A estatística fez do cruzamento das ruas São Paulo e Santa Lúcia, no bairro Todos os Santos, um dos mais perigosos de Montes Claros. Mesmo assim, a instalação de um semáforo, reivindicação antiga dos moradores da região, está temporariamente descartada. 

Ontem, um motoqueiro sem habilitação não respeitou a sinalização de parada e foi atingido por um carro – o acidente ocorreu pela manhã. 

O piloto foi arremessado da moto e teve fratura exposta na perna direita. O motorista do carro não teve ferimentos, mas a frente do automóvel ficou totalmente destruída. 

O Samu aponta que de 2018 a 2019, 32 acidentes foram registrados no trecho. Neste ano, até maio, foram seis.

Algumas das colisões resultaram em mortes. A última foi em 8 de agosto do ano passado, quando um filho morreu nos braços do pai – a motocicleta que os dois estacam foi atingida por um carro. No mesmo dia, outro acidente foi registrado no trecho.

Depois de muita reivindicação dos moradores da região e também de quem tem que trafegar na via diariamente, a MCTrans instalou placas de “Pare”. Porém, as colisões continuam acontecendo. 

Morador da rua Santa Lúcia há 20 anos, o aposentado Luís Tancredo pontua que a associação do bairro fez um abaixo-assinado pedindo para a MCTrans instalar sinalização semafórica ou pelo menos quebra-molas no local. 

“Não fomos atendidos. Eles dizem que não é possível ter quebra-molas e que o semáforo é dispensável. Precisamos de mais segurança aqui, principalmente em período de aulas, quando o ponto fica ainda mais movimentado”, destaca o aposentado. 

O presidente da MCTrans, José Wilson Guimarães, informou que é preciso mais atenção dos motoristas quanto às placas de sinalização colocadas há sete meses. 

Ainda segundo ele, no momento, não é possível instalar semáforo no local, porém a empresa fará estudos para dar mais segurança no local.