Após 18 meses com os leitos destinados para atendimento exclusivo a pacientes com Covid-19, a Maternidade do Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro da Silveira foi reaberta nesta terça-feira (9).

A medida é essencial para atender Montes Claros e região e acontece no mesmo dia em que o Hospital Universitário Clemente de Faria (HU), da Unimontes, divulga nota informando que está com a capacidade máxima de ocupação dos leitos clínicos, incluindo os disponibilizados à maternidade. Situação que persistia nesta quarta-feira (10).

Com a ocupação no limite, o HU acionou o Plano de Contingência e está atendendo “somente aos casos de emergência e referência”.

A maternidade do HC Mário Ribeiro é referência no atendimento às gestantes da região. Aberta em 2016, possui aparelhos de última geração e oferece ainda o parto humanizado, atendendo mães e filhos de forma mais acolhedora, com a família próxima, estimulando o aleitamento materno e o equilíbrio emocional.

Atualmente, a unidade dispõe de 30 leitos para internação, um centro obstétrico normal, com banheira de hidromassagem, estrutura de enfermagem, fisioterapia, estética, psicologia e nutrição. Em três anos de funcionamento, a maternidade registrou mais de mil partos. 
 
ATENDIMENTO PELO SUS
A maternidade do Mário Ribeiro realizada atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), convênios e particulares.

Segundo a obstetra Luciana Santana, diretora técnico do HC que integra a equipe da maternidade desde sua criação, todos se sentem vitoriosos com o credenciamento da unidade pelo sistema público. “Porque o Estado entendeu que temos qualidade reconhecida tanto pela população como pelos órgãos reguladores e fiscalizadores, ou seja, de alto padrão”, afirma.

A maternidade é credenciada como de alto risco, para dar suporte a toda a região do Norte de Minas. Durante a pandemia, explica a médica, foi necessário desativar o serviço para destinar o maior número de leitos possível aos pacientes infectados pelo novo coronavírus. 

“O Hospital das Clínicas Mário Ribeiro da Silveira ficou como primeira referência, de modo que todos os seus leitos foram destinados exclusivamente ao tratamento da Covid, até porque nenhum outro internou tantos pacientes”, diz a obstetra. Com a redução dos casos da doença, argumenta Luciana Santana, foi possível fazer a retomada dos trabalhos na maternidade.

“Dispomos de um centro de parto normal, altamente tecnológico, seguro, de modo que a gestante tem um atendimento diferenciado justamente porque segue protocolos de humanização, porque as famílias que chegam sentem-se bem acolhidas”, pontua.

Nesta quarta-feira já foram realizados os primeiros partos na unidade. “A retomada dos partos para atender Montes Claros e o Norte de Minas é vitória de todos”, destaca o ginecologista Cleber Gonçalves, coordenador da Maternidade do HC.

Ele enfatiza que a equipe é altamente capacitada. “Reiniciamos os trabalhos na maternidade com otimismo e determinação”, diz.

Emocionado, o médico lembrou que nos últimos 18 meses foi preciso priorizar o combate à pandemia. “Mas Deus nos conduziu até aqui, tem cuidado de todos nós com muito amor e zelo. Apesar das perdas que tivemos no percurso, é tempo de reconstrução, pois somente unidos conseguiremos”.