Pelo terceiro mês consecutivo, Montes Claros teve saldo positivo na geração de vagas de trabalho. Foram 2.581 admissões em julho contra 2.557 demissões. No entanto, o mercado de trabalho da cidade vive um fenômeno que não é considerado tão positivo, pois pode ser analisado como uma precarização e perda de poder de compra da mão de obra.

Segundo a pesquisa realizada pelo Observatório do Trabalho do Norte de Minas (OTNM), setor da Unimontes, tem crescido o desligamento de pessoas acima dos 30 anos para a contratação de funcionários de 18 a 25 anos, com salários menores.

Segundo Rogério Furtado, do OTNM, esse tipo de situação vem acontecendo nos últimos três anos. “Pessoas acima dos 30 já têm uma experiência consolidada no mercado e muitos também não querem trabalhar com salários menores, diferentemente dos jovens, que topam trabalhar em horários flexíveis e com pagamento menor”, explica Furtado. 

De acordo com o levantamento feito pelo observatório, das 2.581 admissões ocorridas na cidade em julho, os empregadores preferiram homens e mulheres na faixa de 18 a 24 anos, com ensino médio completo – 57,4% foram do sexo masculino e 42,6% do sexo feminino.

Nos 12 meses anteriores a agosto, 1.303 postos ocupados por trabalhadores com mais de 30 anos foram realocados para trabalhadores mais jovens e 1.051 vagas de pessoas que recebiam salários superiores a 1,5 salário mínimo foram realocadas para trabalhadores que passaram a receber até 1 salário mínimo.

“É necessário que haja constante atualização do trabalhador na área em que atua ou, ainda, disponibilidade para mudar de área e iniciar uma nova carreira com capacitação e dentro das condições que um princípio de carreira oferecem, principalmente salários mais baixos, infelizmente”, pontua Roney Sindeaux, coordenador do observatório com relação aos profissionais acima de 30 anos.

Houve também maior dispensa de trabalhadores com ensino superior e mais de 40 anos. Estes trabalhadores ganhavam entre 1,5 e 4 salários mínimos e trabalhavam, principalmente, em pequenas empresas do comércio e, no caso dos homens, também da agropecuária.

Os setores com mais contratação em Montes Claros foram de serviços (1.320), comércio (664), indústria (272), construção civil (233) e agropecuária (92)