Vacinação vai avançando, números de mortes e ocupação de leitos caindo. Esse novo cenário da Covid-19 em Minas e no restante do país tem levado muita gente a flexibilizar os cuidados para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

Tem se tornado cada dia mais comum ver as pessoas circulando pelas ruas de Montes Claros sem usar a máscara, ou usando de forma incorreta. No entanto, os números da variante Delta – que crescem exponencialmente, como O NORTE mostrou na edição de ontem – alertam para que a prevenção seja mantida.

O uso da máscara, por exemplo, é obrigatório na cidade, determinado pelo Decreto nº 4030, de 23 de abril de 2020. O artigo 1º do documento estipula que todas as pessoas que transitarem pelas vias, demais espaços públicos ou utilizarem os equipamentos de transporte público coletivo do município deverão utilizar máscara que cubra totalmente a boca e o nariz e esteja bem ajustada ao rosto.

A multa para quem descumprir a lei é de 10 a 200 Urefs (o valor atual da Uref corresponde a R$ 45,80).

“Me senti constrangida e cheguei a ter dúvida quanto à regra do uso da máscara. Precisei deixar o carro em um estacionamento enquanto faria uma consulta. O funcionário do estabelecimento não usava máscara e isso me deixou insegura. Como vou confiar em uma pessoa que não tem cuidado nem com a própria saúde?”, afirma a dona de casa F.L., que desistiu de deixar o carro no local e foi em busca de outro estacionamento.

E a situação tem se tornado corriqueira em Montes Claros. Recentemente, uma protetora, que pediu para não ser identificada, chegou a percorrer três lojas de ração até encontrar uma em que pudesse fazer as compras para o pet de maneira segura.

“Achei um absurdo os funcionários trabalhando sem máscara e, mais ainda, os donos de estabelecimento permitirem essa situação. Realmente, a máscara não é confortável, mas é obrigação de todos. Eu uso e quero ser atendida por pessoas que tenham responsabilidade”.

PROTEÇÃO
A infectologista Cláudia Biscotto alerta para os cuidados combinados e diz que ainda estamos sob o decreto vigente da obrigatoriedade do uso da máscara em ambientes públicos externos e internos.

“O uso da máscara ainda é necessário, mesmo que a pessoa esteja totalmente imunizada, pois nenhuma vacina protege 100%. O vírus continua circulando mesmo que em menor intensidade. A proteção é maior quando todos estão usando”, explica a médica.

Mais rigor na fiscalização
Por causa do aumento de denúncias que chegam à Guarda Municipal de Montes Claros sobre falta do uso da máscara, a fiscalização será intensificada, segundo o secretário de Defesa Social, Anderson Chaves.

Ele ressalta que mesmo com o número de casos se mantendo estável e a diminuição de óbitos, é preciso manter a vigilância e cumprir as medidas adotadas para prevenção da doença.
“No Estado circula a variante Delta e o poder de contágio é superior às outras cepas. O uso de máscaras é uma das medidas mais eficazes para alcançarmos o objetivo. Só frearemos a circulação do vírus com a colaboração de cada cidadão”, afirma.

Anderson garante que a fiscalização vai continuar e que o proprietário do estabelecimento que permitir a permanência de clientes sem máscara poderá ser autuado. Isso já aconteceu, mas o gestor não soube informar os números.

EXEMPLO
Para o empresário Aurélio Rocha, do ramo de confecção, o exemplo tem que vir do próprio estabelecimento. “Aqui é muito tranquilo. Desde o início a gente colocou aviso na porta bem nítido e os clientes respeitam. Nunca tivemos problema. Como nós utilizamos durante o expediente, os clientes acabam seguindo o exemplo”, conta. 

No Montes Claros Shopping, as regras são rígidas. “O uso da máscara é obrigatório. Caso algum cliente não esteja usando, nossa equipe busca entender o motivo e orienta para que se dirija até uma das nossas farmácias ou lojas que estejam vendendo máscaras. Lembramos que ninguém entra no shopping sem máscara”, diz Shaiana Gracioli, gerente de Marketing do mall.
De acordo com Silvana Silva, inspetora da Guarda Municipal, é feito um trabalho de orientação permanente. “Todo cidadão que vemos sem máscara, durante a fiscalização, abordamos e orientamos. Dentro das nossas viaturas sempre temos uma caixa com máscara e até repassamos ao cidadão que saiu de casa e tenha esquecido ou por algum outro motivo não esteja usando”, diz a inspetora.

A população pode fazer denúncia pelo número 153.