Preocupado com os altos índices de suicídio em todas as faixas etárias, mas principalmente entre os jovens, o Centro de Valorização da Vida em Montes Claros – único da região – deu início a uma série de ações para conseguir aumentar o quadro de voluntários e, assim, ampliar também a oferta de apoio e atenção a quem procura o serviço. 

Nas escolas, mesas redondas para debater o assunto, envolvendo os jovens. Em empresas, palestras também abertas ao público em geral. 

Em 4 de março, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, no bairro Ibituruna, será realizada a palestra “Suicídio, precisamos falar sobre isto”.

Em Montes Claros o CVV está sediado no bairro Todos os Santos e é mantido graças a doações. Prestes a completar dois anos de atividade, tem atualmente 26 atendentes voluntários, que semanalmente doam quatro horas de seu tempo para receber as ligações feitas via através do número 188 e conversar com quem está do outro lado da linha pedindo ajuda. O trabalho também consiste em suporte emocional aos familiares que sofreram perdas.

Para se ter uma ideia da relevância do tema e importância do CVV, nas duas horas em que a reportagem de O NORTE permaneceu no local, somente a voluntária L.V. atendeu 29 ligações. 
“Apenas duas pessoas optaram por ficar caladas, mas nos esforçamos para estimular a fala, dar início ao diálogo para saber de fato o que incomoda quem recorre ao serviço”, delclarou L.V., ressaltando que ao fim do “plantão” do dia foi possível estabelecer comunicação com mais da metade das pessoas.
“Mas tem dia que a gente fica até duas horas por conta, em um atendimento. Ou seja, o tempo é determinado por quem atendeu o apelo no sentido de recorrer ao CVV, e acontece de acolhermos uma mesma pessoa várias vezes ao dia”, acrescenta.

A psicóloga Silvana Veloso Neri Oliveira, que criou e coordena a ONG que opera em Montes Claros, teve a iniciativa após o suicídio do filho, de apenas 23 anos. Ela aposta em uma programação intensa em 2020 para que mais pessoas tenham acesso ao serviço de apoio. “A despeito do trabalho voluntário em todo o Brasil, o número de suicídios continua crescendo em todas as faixas etárias, de crianças e jovens a adultos e idosos, sendo a quarta maior causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS)”, frisa a psicóloga.

Silvana Veloso lembra que os atendimentos são individuais e sigilosos. “Os voluntários atuam em sala fechada, de modo a garantir o sigilo do que é falado, de parte a parte”. 
A voluntária D. B. coordena o “CVV Comunidade”, serviço prestado à população para quebrar o preconceito em torno do tema. Por meio dos telefones (38) 99247-0908 e (38) 99104-4577 são feitos os agendamentos.
 
SERVIÇO
O CVV funciona em Montes Claros na Rua Santa Terezinha, 585, Bairro Todos os Santos. Quem deseja participar como voluntário pode ligar para o número (38) 99247-0908 . O canal de atendimento pelo número 188 funciona 24 horas. É possível obter informações sobre os serviços de prevenção ao suicídio na página facebook.com/navimoc/. Já a chamada “Escuta Fraterna”, acontece diariamente, das 14h às 22h. Para capacitação como voluntario, maiores informações em comunicacao@cvv.org.br e do site https://www.cvv.org.br/voluntario/