A fome assombra atualmente quase 117 milhões de brasileiros. Por conta dos impactos da pandemia na economia, cerca de 19 milhões de pessoas engrossaram, no ano passado, o contingente que enfrenta algum grau de insegurança alimentar.

Ao mesmo tempo, o Brasil está entre os dez países do mundo que mais desperdiçam alimentos, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), desperdiçando cerca de 35% da produção anual. E muito desses desperdício – cerca de um terço – começa em casa. 

A Oxfam Brasil, organização da sociedade civil criada em 2014 e voltada para a construção de um país com mais justiça e menos desigualdades, ensina que uma das formas de evitar que alimentos nutritivos acabem no lixo é aprendendo a aproveitar cada parte, como talos, folhas e sementes.

A dica de ouro é reforçada pela nutricionista Virgínia Damaso Soares. Ela destaca benefícios nutricionais e financeiros a partir do planejamento, desde a compra até o preparo das refeições. 
“Benefícios para o ser humano, através de uma alimentação balanceada, equilibrada e rica em nutrientes. Benefícios para o mundo, porque ao invés do descarte das partes não convencionais, como talos, cascas e sementes, que iriam para o lixo, há melhor utilização. Benefício econômico, já que assim diminui o gasto para comprar o mesmo alimento mais vezes ou em volume maior”, frisa.

Outro benefício importante, aponta a nutricionista, é poder ter variedade na preparação dos pratos. Um único alimento, diz ela, serve de base para preparar vários tipos diferentes de pratos, enriquecendo a alimentação.
 
NOVO CONSUMO
Criar grupos para compra e compartilhamento de alimentos é outra dica valiosa da Oxfam. A organização aponta que existem modelos de assinatura para o consumo sustentável. “Você também pode contatar os produtores de alimentos mais próximos e formar grupos para adquirir os produtos a um preço mais acessível, de acordo com a sazonalidade e sem desperdício”, prega orientação no site da instituição.

A dona de casa Maria Izabel Ferreira Damasceno, de 66 anos, diz que já faz a lição de casa há vários anos, desde quando frequentava a Pastoral da Saúde em Montes Claros, onde aprendeu o método. 

“A gente higieniza bem a abóbora, por exemplo, depois a gente corta com a casca um pouco mais grossa e coloca no arroz, ou faz uma farofa, e pode colocar onde quiser!”, ensina, acrescentando que usa outras variedades de legumes e frutas, como a couve. “Uso também o talo da couve para enriquecer o arroz e a banana, que cede a casca para o preparo de tortas e até sopa”.

Dona Maria garante que a prática faz bem ao bolso e à saúde, já que consumir o alimento de forma integral é mais nutritivo.

Na Pastoral da Criança em Montes Claros é possível aprender a usar o alimento na sua totalidade. Irmã Ana Francisca Pontes, coordenadora, afirma que a função da pastoral é orientar as famílias, principalmente as de baixa renda, visando a uma alimentação saudável a partir dos alimentos adquiridos. “A gente não dá nada, a gente ensina. Mas se estão em situação de urgência, fazemos mutirão para ajudar. O ideal é que as pessoas aprendam a utilizar o que tem em casa”, afirma. 


Farofa de Talos e folhas
Ingredientes:
• 2 colheres de margarina ou de óleo;
• 2 colheres de cebola ralada;
• Farinha de mandioca ou de milho;
• Sal a gosto;
• Folhas e talos bem picados, lavados e refogados
 
Na margarina derretida ou óleo, refogue a cebola até dourar. Acrescente, aos poucos, os talos, as folhas, a farinha de mandioca ou de milho e o sal. Mexa bem e sirva em seguida.

Bolo de casca de banana 
INGREDIENTES;
- Cascas de 4 bananas, bem lavadas e picadas
- 2 ovos
- 2 xícaras (chá) de leite
- 2 colheres (sopa) de margarina
- 3 xícaras (chá) de açúcar
- 3 xícaras (chá) de farinha de rosca
- 1 colher (sopa) de fermento em pó 
 
Bata no liquidificador as cascas de banana, as gemas, o leite, a margarina e o açúcar. Transfira essa mistura para uma vasilha e acrescente a farinha de rosca. Mexa bem. Bata as claras em neve e adicione aos poucos à massa junto com o fermento. Despeje em assadeira untada e enfarinhada. Leve ao forno médio, pré aquecido, por 40 minutos.

Assado de casca de chuchu
INGREDIENTES: 
- 3 xícaras (chá) de cascas de chuchu, lavadas, picadas e cozidas
- 1 xícara (chá) de pão amanhecido molhado no leite
- 2 colheres (sopa) de queijo ralado
- 1 cebola pequena picada
- 1 colher (sopa) de óleo
- 2 ovos batidos
 
- Cheiro verde e sal a gosto
Bata as cascas de chuchu cozidas no liquidificador. Em uma tigela, misture-as com os demais ingredientes. Leve para assar em um pirex untado. Sirva quente.

DICAS VALIOSAS
- opte por alimentos produzidos localmente. A agricultura familiar é mais sustentável, mais saudável e ainda fomenta a economia local. Além disso, é possível minimizar as perdas nas fases de transporte e armazenamento;

- aprenda a preparar receitas com partes dos alimentos que geralmente são jogados no lixo, como raízes, cascas e sementes;
 
- crie grupos para compra e compartilhamento de alimentos. Atualmente, há modelos de assinatura para o consumo sustentável. Você também pode contatar produtores de alimentos mais próximos e formar grupos para adquiri-los a um preço mais acessível, de acordo com a sazonalidade;
 
- Diminua o volume e aumente a frequência de compra nos mercados, assim você não precisa armazenar grandes quantidades. Além disso, você consome produtos sempre frescos;
 
- Aprenda a armazenar de forma adequada as sobras dos alimentos;
 
- Mantenha armários e geladeira organizados. Produtos comprados antes devem ser consumidos primeiro; 
- Aprenda a fazer compostagem de resíduos orgânicos. Você pode usar o húmus para criar a sua própria horta!
 
- Busque organizações que auxiliem em doações e crie campanhas para a redução da fome no país.  

Fonte: Oxfam Brasil