O tão esperado “sim” de Edlaine Castro e Cássio Leal teve que esperar. O casamento estava marcado para 9 de maio, período considerado especial para noiva – por ser mês de Nossa Senhora. A cerimônia, que seria celebrada em uma igreja católica, foi cancelada por conta da pandemia do novo coronavírus. Devido ao risco de disseminação da Covid-19, está suspensa, por tempo indeterminado, qualquer atividade com a participação da população.

Os bispos dom José Moreira da Silva, de Januária, e dom Roberto José da Silva, de Janaúba, suspenderam as missas e outros ritos e atividades religiosas nas paróquias conforme determinação da Arquidiocese de Montes Claros.

Enfermeira, a noiva Edlaine ficou chateada, claro, por ter que adiar o “grande dia”, mas entende a importância da medida. Ela ainda não decidiu uma nova data para a cerimônia. O padre recomendou agendar após o mês de agosto. Felizmente, a moça conseguiu renegociar os prazos com fornecedores sem custo adicional.

“Entendo a importância do isolamento. Tenho avós, tios e tias que se enquadram no grupo de risco e também tenho uma filha de apenas cinco meses”, afirma a noiva.

O vestido de noiva de Edlaine foi feito sob medida e já está pronto. Difícil está segurar a ansiedade para usá-lo.

“Acho que todos entendem a situação, que não é por nossa causa. É algo que não está no nosso controle. Estava tudo contratado, inclusive o aluguel do terno do meu noivo e as roupas das damas e pajens – conversei com a dona do local para remarcar a festa e a igreja nos ligou avisando sobre o cancelamento”, explica Edlaine.

O Procon de Montes Claros alerta que com base no contrato assinado pelas partes envolvidas é possível saber qual medida tomar. A recomendação inicial é o diálogo para chegar a um consenso. 
 
FORNECEDORES
No ramo de cerimonial há mais de dez anos, Sânvia Palazzo tinha uma série de casamentos marcados no primeiro semestre deste ano. Os planos dela também tiveram que ser alterados. Até agora, pelo menos 20 eventos já foram remarcados. 

“A princípio, estamos adiando eventos de março, abril, maio e alguns de junho e julho, porém para os de junho e julho estamos organizando plano B, ainda acreditando que isso possa se reverter em breve”, diz a empresária. 

“Graças á Deus está sendo feito com muita tranquilidade. Nossas noivas são muito sensatas e todos os fornecedores envolvidos estão super flexíveis. Estamos trabalhando em conjunto e em sintonia, afinal, casamento é um momento especial e único”, conclui a cerimonialista.
 
CARTÓRIO
De acordo com o Cartório Cível de Montes Claros, nesta semana, 30 casamentos foram cancelados em apenas três dias no mês de março. Os noivos poderão remarcar a data, quando a pandemia passar, sem custo adicional – os casamentos marcados para semana que vem ainda não estão certos se acontecerão. A expectativa é que semanalmente haja uma portaria definindo o tema.
 
MISSA EM CASA
Em tempo de isolamento domiciliar, a Arquidiocese de Montes Claros proibiu alguns costumes cristãos, como “paz de Cristo” (aperto de mão entre os fiéis durante a missa), abraços e a entrega de hóstias. As missas estão sendo realizadas normalmente, mas sem a presença dos fiéis, que podem acompanhar as celebrações via Youtube.