Montes Claros já tem 82% do público apto a receber a primeira dose contra a Covid-19 vacinado. O índice está um pouco acima do registrado pelo Estado, que está em 81,85%, e representa um aumento de 84,4% em relação ao balanço de dois meses atrás.

A maior cidade do Norte de Minas já tem 263.528 maiores de 18 anos com a primeira dose aplicada, de um total de 321 mil que precisam ser vacinados. Em 2 de julho, eram 142.861 – quase a metade.

Para ampliar ainda mais esse percentual, o município orienta os moradores a não escolherem a dose a ser recebida. Segundo os especialistas, a vacina boa é aquela que está no braço. “Enquanto você perde tempo escolhendo a marca da vacina, o vírus pode escolher você!”, alerta postagem feita pela Secretaria Municipal de Saúde nas redes sociais.
 
SEGUNDA DOSE
O desempenho é ainda melhor quando se analisa os dados da segunda dose e dose única, que representam a conclusão da imunização.

São 108.951 pessoas com o processo completo, segundo balanço desta sexta-feira (3), contra 48.686 em 2 de julho – quando a dose única da Janssen ainda nem havia começado a ser utilizada.

Isso representa uma disparada de 123%, com uma cobertura vacinal de 34% na cidade. No Estado, a cobertura é de 36,67% – contra 13,6% em julho.

Além da maior chegada de vacinas, o governo de Minas avalia que o avanço da cobertura vacinal coincide com a implementa-ção do Grupo de Análise e Monitoramento da Vacinação (Gamov), que completou dois meses de atuação no último dia 1º.

“Por ser um instrumento capaz de modificar a governança nas regionais e os processos de trabalho, o Gamov tem sido um dos responsáveis pela qualificação destes dados e pela evolução da vacinação no Estado”, afirma Marcela Lencine Ferraz, diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).
 
DESAFIO 
A secretaria identificou a necessidade de criar mecanismos capazes de acompanhar todo o processo que envolve o planejamento, distribuição e aplicação das vacinas e ter o conhecimento sobre o ritmo e o impacto da vacinação nos territórios mineiros.

Além disso, foi necessário realizar aproximação do nível central e regional junto aos gestores e profissionais de saúde dos municípios, entendendo suas dificuldades e apoiando no que fosse necessário.

“Neste contexto, a tomada de decisão precisa ser ágil e assertiva, com base em informações confiáveis que permitem a análise dos municípios sob óticas diversas”, afirma Marcela.

Minas Gerais possui 853 municípios com especificidades territoriais distintas, o que demanda um desafio ainda maior para conclusão da maior campanha de vacinação da história.

Atualmente, o trabalho desenvolvido pelo Gamov tem sido referência para outros estados brasileiros que estão interessados em conhecer melhor a estratégia para implantação, entre eles o Paraná.

Novas entregas
Nesta sexta-feira, o governo de Minas finalizou mais uma distribuição de imunizantes contra a Covid-19 às Unidades Regionais de Saúde (URSs).

Ao todo, são 707.400 imunizantes, sendo 101.790 doses do imunizante da Pfizer e 180.250 doses da AstraZeneca, referentes à 44ª remessa. Do 45º lote, são 96.230 doses da CoronaVac, 133.380 doses da Pfizer e 195.750 doses da AstraZeneca.

Até o momento, a Secretaria de Estado de Saúde já repassou aos municípios 22.155.038 doses de imunizantes contra a Covid-19. 

*Com Agência Minas