O setor de bares e restaurantes em Montes Claros comemora a publicação do Decreto nº 4244, que autoriza o funcionamento até as 23h. As regras já estão em vigor e, para a Abrasel Regional Norte, embora ainda não seja o ideal, a alteração traz um alento à categoria. 

“A Abrasel recebe de bom grado essa flexibilização. É um norte para o setor porque cada minuto que a gente tem a mais para comercializar os produtos ajuda na retomada da economia que está prejudicada. Ajuda a manter os empregos e avançar na economia”, diz Rodrigo de Paula, diretor da entidade.

“Nosso pleito era o funcionamento até as 24h, todos os dias da semana, sem a limitação de público por mesa. Também pedimos uma tolerância de 30 minutos além do horário estipulado para que a gente consiga fazer o fechamento de contas e organizar a saída dos clientes do estabelecimento. Veio de bom grado essa ampliação do horário, mas a gente continua lutando para o atendimento do pleito na íntegra. Acreditamos que, com o avanço da vacinação, em breve deveremos chegar à plenitude do funcionamento, sem restrição de horário e sem demais restrições”, avalia Rodrigo, que protocolou documento no município com as demandas do setor.

Além da ampliação do horário de funcionamento dos bares, a nova regra municipal permite que os restaurantes fora do perímetro urbano atendam entre 23h e 5h, exclusivamente para pessoas em deslocamento para outras cidades ou que estejam transportando cargas.
 
FESTAS
As casas de festas e eventos ganham mais flexibilidade com a permissão de até 130 pessoas no ambiente, de acordo com os critérios definidos pelo Corpo de Bombeiros. O decreto anterior permitia até 100 pessoas. Porém, as regras quanto ao atendimento e permanência no ambiente continuam.

Para Cácio Xavier, que abriu um empreendimento durante a pandemia, essa hora a mais é interessante, mas ele gostaria que não houvesse limitação ao número de pessoas por mesa. 

“Seis pessoas acho razoável, mantendo o distanciamento, uso de álcool e máscara. Mas ainda vivemos com medo de retrocessos. Acredito ser razoável essa hora a mais. O setor vem se adaptando. O temor é retroceder, pois ficamos inseguros para investir, contratar. Mas essa hora a mais ajuda sim”, diz o jornalista e empresário do ramo de gastronomia.

E a expectativa é a de que esse decreto fique por um tempo ou, então, que a flexibilização seja ainda maior. Para o empresário Andrea Carpentieri, dono de um restaurante de culinária italiana, essa hora a mais “é uma hora de negócio, mas principalmente mais tempo para o cliente curtir o momento dele. Para mim, que preparo tudo na hora, às vezes demora um pouco. Esperamos que este decreto fique”, declara.

SAIBA MAIS
Mais permissões

Cultos e demais eventos religiosos poderão ocorrer com a participação de até 30% dos lugares existentes, de acordo com os critérios definidos pelo Corpo de Bombeiros, limitado ao máximo de 130 pessoas e com distanciamento mínimo de 2 metros entre os participantes.

As comemorações em residências particulares passam a ser permitidas com a presença de, no máximo, 50 pessoas, bem como a prática de esportes coletivos de contato, mas sem a presença de público. Os clubes recreativos podem funcionar apenas com o uso de quadras esportivas e campos de futebol. Piscinas, saunas, chuveiros, bebedouros e venda de bebidas estão proibidas. 

O uso de máscara e colocação de álcool na entrada do clube são obrigatórios, sendo que a retirada da máscara só é permitida durante a prática da atividade em quadra ou campo. Os clubes de serviço podem realizar eventos com até 30 pessoas. Os shoppings centers voltam a funcionar no horário tradicional, de 10h às 22h, com redução de 50% da capacidade máxima.

Já os velórios, antes restritos a dez pessoas, poderão acontecer com até 20, podendo haver revezamento entre os participantes.