O cuidado com o próximo norteia os trabalhos do montes-clarense Cléver Oliveira, que está sempre em busca de inovação para atender os clientes. Aos 40 anos, ele é massoterapeuta, instrutor de yoga, terapeuta de barras de Access e ator.

Fora dos palcos nesse período de pandemia, resolveu se aventurar em mais um empreendimento, alternativa para enfrentar a crise provocada pelo novo coronavírus.

E o negócio escolhido foi o ramo da saboaria, mais uma vez com a vertente do cuidado. Desde novembro do ano passado a Sabão du Sertão leva cosméticos com propriedades terapêuticas aos clientes.

As ervas utilizadas na produção dos extratos e as peças para ornamentação dos kits e embalagens são compradas de produtores locais para promover a parceria entre produtor e artesão.

As bases para a produção dos sabonetes são feitas pelo próprio Cléver. São bases 100% artesanais, vegetais e veganas.

“São extratos à base de glicerina vegetal e levam 81 dias para ficarem prontos. Também não utilizo derivados de petróleo na produção dos extratos, e sim glicerina bidestilada vegetal, azeite extra virgem de oliva, dentre outros ingredientes”, conta.

A ausência de químicos e conservantes artificiais favorece o cuidado com a pele e o meio ambiente. “A saboaria era um projeto antigo meu, então coloquei em prática. Sobre os produtos, não utilizo derivados de petróleo, sulfatos, lauril e parabenos, por exemplo, que são levados junto com a água do banho, podendo assim, contaminar solo e rios. São produtos bem diferentes dos sabonetes industrializados, que levam grandes quantidades de conservantes. Por isso, os sabonetes comprados em supermercados costumam secar e rachar. Imagina isso na pele”, compara.

Além disso, as matérias-primas utilizadas não são testadas em animais. “O maior desafio em ser microempreendedor é a não valorização do trabalho. Para algumas pessoas, para se fazer um sabonete, basta apenas a base, aroma, extrato e corante. Mas não é bem assim. A maioria das matérias-primas são compradas fora.

Com isso, tem o frete, tem a água na produção, luz, internet, impressora, papel para impressão dos rótulos, embalagens, manteigas vegetais, argilas, cursos, dentre outros”.
 
EMPRESA DE UM SÓ
E para tocar o negócio, Cléver conta apenas com ele mesmo. É ele quem produz – da base do sabão aos rótulos –, quem compra mercadorias, vende o produto, faz o marketing digital, cuida da contabilidade, é entregador e gerente.
“Sou só eu. No momento tenho usado um espaço em minha casa para a produção, mas pretendo, em breve, ter o meu espaço”.

Destaque para a variedade de produtos
Mas quem pensa que os produtos Sabão du Sertão se limitam a sabonetes, vale conhecer a diversidade de cada linha: fitoterápica, spa, argila, lavanda, masculina e até a linha pet.

“Tenho no catálogo produtos como sabonetes, sais de banho, escalda-pés, geleias de banho, perfumes de ambiente, água para lençóis, máscaras faciais. Lancei recentemente a linha pet, com produtos totalmente naturais e, em sua maioria, à base de óleos essenciais”, explica Cléver.

Tem talco antisséptico natural, shampoo em barra 3 em 1, repelente fitoterápico, repelente com óleos essenciais e água de colônia. 

“Como sou MEI, fui contemplado no ano passado com o auxílio do governo. Investi em cursos, materiais, matéria-prima e não parei mais. Basta uma ideia criativa e colocar em prática”.

Para conhecer a Sabão du Sertão basta seguir o Instagram e Facebook ou através do telefone (38) 99905-5990.