Para muita gente, fazer a declaração do Imposto de Renda é uma verdadeira dor de cabeça. A maioria dos contribuintes deixa para última hora ou contrata um contador para a missão. O prazo para envio da documentação deste ano terminou em 30 de junho, mas em Montes Claros, cera de 2 mil pessoas ainda não acertaram as contas com o Fisco. 

Para estes e para quem sabe que ano vem será preciso encarar novamente o Leão, o Departamento de Ciências Contábeis da Unimontes desenvolveu um aplicativo que permite fazer um planejamento financeiro e assim organizar os gastos a serem declarados.

O app “Planeja IR” foi desenvolvido pelo professor e doutor Geraldo Alemandro Leite Filho e auxilia a trabalhar a prestação anual de contas desde já. 

Na plataforma ainda é possível encontrar detalhes sobre a legislação tributária, os recursos (rendimentos e despesas) e até simulações. O usuário pode preencher diariamente ou mês a mês, evitando a correria e as dúvidas de última hora, além do congestionamento de sistemas, como foi visto recentemente, ao final do período de entrega da declaração deste ano para a Receita Federal. 

“A ideia é oferecer um instrumento de planejamento e controle para os rendimentos tributáveis e despesas. Nos preocupamos em esclarecer até mesmo o quanto pode ser convertido em doações dentro das deduções que a declaração do Imposto de Renda permite”, explica o professor. “Além disso, (o app) permite fazer planejamento de valores a serem investidos em previdência privada”, completa. 

Segundo o especialista, o ideal é que assim que a pessoa receber o informe de rendimentos, comece a se organizar. Quem entrega a declaração nas primeiras semanas recebe a restituição logo no primeiro lote de pagamento. 
 
APP
O aplicativo Planeja IR está disponível para download gratuito na plataforma Google Play. O projeto também oferece um site com os mesmos padrões do APP, www.planejair.com.br/ para as informações detalhadas. Há no YouTube um tutorial sobre como utilizar a ferramenta. 

“Apresentamos o aplicativo que desenvolvemos dando exemplo de como se faz o planejamento financeiro e tributário pessoal anual, bem como a previsão de doações de incentivo e seus impactos financeiros e tributários no IRPF”, finaliza Alemandro.