O aumento de casos de Covid em Montes Claros e a falta de leitos na cidade levou a prefeitura a adiar o início do ano letivo. As aulas presenciais seriam retomadas nesta quinta-feira (4) por escolas particulares, mas um novo decreto, publicado ontem, suspende a volta às salas de aula nesta data.

O Decreto nº 4180 diz que, entre outras situações, uma abrupta alteração ocorrida nos indicadores epidemiológicos e de capacidade assistencial do município, com a ocupação da quase totalidade dos leitos disponíveis para a Covid-19, impede o retorno imediato das aulas por meio presencial.

As aulas e demais atividades de ensino, na rede privada e nas redes federal e estadual, ficam autorizadas para funcionamento presencial a partir de 22 de março, segundo o documento.

CÂMARA
A Câmara de Vereadores também decidiu suspender as atividades presenciais até 19 de março. As sessões plenárias estão suspensas e os vereadores podem ser convocados se houver necessidade de votação em regime de urgência. 

Neste caso, participarão apenas os vereadores e servidores do quadro administrativo imprescindíveis para a realização da reunião, sendo dispensada a participação dos parlamentares com mais de 60 anos, portadores de doença crônica ou autoimune. Todas as reuniões serão transmitidas pela rede de comunicação da Câmara.
 
VACINAÇÃO
E em meio a tanta turbulência, a cidade começa hoje a vacinar idosos de 80 anos ou mais contra a Covid-19. A expectativa é a de conseguir proteger todo o público nessa faixa etária, que soma 4.710 pessoas com idade entre 80 e 84 anos.

A vacinação ocorrerá de duas formas: de casa em casa, realizada pela equipe da ESF onde o idoso é referenciado; e no drive-thru, localizado no Montes Claros Shopping. O drive-thru funciona das 8h às 21h, durante a semana, e das 10h às 20h, nos finais de semana.

Toque de recolher no Norte de Minas
Lassance e Francisco Sá também implantaram medidas mais restritivas, como o toque de recolher entre 22h e 5h. “Após um ano, entre altos e baixos, estamos passando pelo momento mais delicado. Francisco tinha quatro leitos ocupados na manhã de segunda-feira. À tarde, este número já era de seis e, hoje (ontem) já são dez. Se continuar assim, até o fim de semana nossos leitos serão esgotados. Precisamos de todos em casa. Não queremos fechar o comércio, mas por 15 dias vamos tentar controlar a situação”, pontua o prefeito de Francisco Sá, Mário Osvaldo Casasanta.

Reinfecção confirmada
A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) confirmou, ontem, o primeiro caso de reinfecção pelo novo coronavírus em Minas. Trata-se de um médico, de 29 anos, que trabalha na Grande BH. O paciente desenvolveu a doença pela primeira vez em maio de 2020, com resultado positivo em exame laboratorial. Uma nova infecção foi confirmada em janeiro de 2021. Segundo a pasta, o caso mais recente indica uma nova cepa, que ainda não havia sido detectada no país. Os dois exames foram analisados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), por meio do sequenciamento genético, que identificou que o vírus da primeira infecção é diferente do da segunda, o que justificaria a reinfecção.