A qualidade do ar que respiramos é o tema definido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Semana do Meio Ambiente deste ano. O foco da ONU são as principais atividades poluentes do ar, como as domésticas, de indústrias, transporte, agropecuárias e o lixo. 

De acordo com a entidade, aproximadamente 7 milhões de pessoas morrem prematuramente a cada ano devido à poluição do ar, sendo 4 milhões dessas mortes somente na região da Ásia e do Pacífico Ocidental.

O paliativo, de acordo com especialistas, é o plantio de árvores, que ajudarão na “purificação” do ar. Segundo a ONU, as árvores diminuem significativamente os impactos causados pela poluição. 

Mensalmente, o ambientalista Soter Magno participa do plantio de mudas em Montes Claros. Um local que necessita de recuperação é escolhido e voluntários realizam a atividade. 

“Trabalhamos muito com a arborização urbana, pois os grandes centros desmataram muito e é preciso fazer esse processo de recuperação. Queremos dar nossa parcela de contribuição”, frisa o ambientalista. 

Soter acredita ainda que o plantio de árvores deveria ser tratado como caso de saúde pública. “A qualidade do ar interfere diretamente no surgimento ou na gravidade de doenças respiratórias”, alerta. 

A organização Arboriza MOC realiza também o plantio de árvores pela cidade. De acordo com a advogada Débora Honorato, uma das fundadoras da organização, já foram plantadas mais de mil mudas desde 2015. 

“A árvore exerce diversas funções. Desde a melhoria da qualidade do ar, da umidade do local, baixando a temperatura do ambiente, então, quando plantamos, alcançamos mais de um objetivo”, afirma.

Em Montes Claros, eventos movimentam a semana. Amanhã, no Dia Mundial do Meio Ambiente, a Organização Vida Verde (Ovive) realiza ação de mobilização e conscientização, na Praça Dr. Carlos Versiani, a partir das 8h. A população será orientada sobre poluição do ar, descarte correto de lixo e coleta seletiva e terá atendimento de saúde gratuito. 

De acordo com o diretor-executivo da Ovive, Greisson dos Reis, o evento pretende chamar atenção para medidas emergenciais que previnam a degradação do meio ambiente. 

“É conscientizando hoje, com ações efetivas, que faremos com que a próxima geração possa usufruir do meio ambiente de maneira sustentável e inteligente”, ensina. 

A Ovive tem na cidade 39 pontos de coletas para pilhas. A Câmara Municipal e a Funorte, campus JK, são dois dos lugares que recebem o material. 

A Escola Estadual Américo Martins receberá, na quinta e na sexta-feira, o VI Congresso Biotemas, com 77 atividades temáticas, entre minicursos, oficinas e exposições, realizados por acadêmicos da Unimontes e de outras universidades.