Mapa da fome

Cai número de doações e triplica número de pedintes em Montes Claros

Da Redação*
Publicado em 11/06/2022 às 00:16.
Na periferia ou nas ruas, número de pessoas que precisam de ajuda para se alimentar vem aumentando e preocupa instituições (FOTOS RENATA OLIVA/DIVULGAÇÃO)

Na periferia ou nas ruas, número de pessoas que precisam de ajuda para se alimentar vem aumentando e preocupa instituições (FOTOS RENATA OLIVA/DIVULGAÇÃO)

A situação de extrema pobreza e vulnerabilidade aumentou também em Montes Claros. Segundo Claudinei Leite, coordenador do projeto “Luz na Rua”, que atende a população carente no município, é nítido o aumento de pessoas em dificuldades, nas ruas e nas casas.

“O número de pedidos de ajuda triplicou e o que se percebe, no contato diário com os assistidos, é que a maioria são pessoas que trabalham na informalidade, como autônomos, e chegam a obter uma renda mensal insuficiente para atender as necessidades básicas”, afirma.

A comida acaba na primeira quinzena do mês, conta Claudinei, e a saída é buscar ajuda. “Para piorar a situação, a alta dos preços dos alimentos dificultou a vida de quem mais precisa. Está faltando comida na mesa. Tem muita gente com fome”, lamenta.

O projeto atende cerca de 180 pessoas todas as semanas. E o grupo precisa de ajuda para continuar o apoio. “Devido à pandemia, em 2021 houve um grande engajamento da sociedade em ações voluntárias, com aumento do volume de doações. No entanto, neste ano, as arrecadações caíram cerca de 80% e a realidade das pessoas em situação de vulnerabilidade aumentou”, diz o coordenador.

No último ano, o Luz na Rua arrecadou mais de 2,5 toneladas de alimentos para famílias carentes, além de promover atividades como doação de agasalhos, cobertores, álcool em gel e máscaras. Neste ano o cenário é bem diferente.

“Atendemos as pessoas em situação de rua, que possuem em comum a pobreza extrema, os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados e a inexistência de moradia convencional regular. Aqueles que utilizam os logradouros públicos e as áreas degradadas como espaço para viver de forma temporária ou permanente, muitas vezes com extremas dificuldades de se alimentar ou de terem atendidas as necessidades básicas”, detalha Claudinei. 

Além dos moradores de rua, o grupo dá assistência material e espiritual nas comunidades dos bairros Doutor João Alves, Vila Cedro, Itatiaia, Vila Mauriceia, Recanto das Águas e realiza ações isoladas em outras comunidades.

Quem quiser ajudar o grupo pode entrar em contato pelos telefones (38) 99121-2327 ou (38) 98828-3583. O Instagram é @luz.na.rua. 

OFICIAL

O NORTE procurou a Prefeitura de Montes Claros nesta quinta e sexta-feiras para saber se o município tem um levantamento do número de pessoas que precisam de ajuda e para falar quais ações são realizadas pelo Executivo municipal para amparar os moradores em situação vulnerável e de extrema pobreza. Mas não obteve retorno até o fechamento da edição.

A assessoria apenas repassou um documento que mostra o número de pessoas que recebem o Auxílio Brasil: são 19.921 famílias, o que representa quase 65 mil pessoas, com ajuda de R$ 173,65 por mês. Esse mesmo documento indica que quase 6 mil pessoas recebem benefício para superação da extrema pobreza em Montes Claros.

*Colaborou Leo Queiroz

Compartilhar
Logotipo O NorteLogotipo O Norte
E-MAIL:jornalismo@onorte.net
ENDEREÇO:Rua Justino CâmaraCentro - Montes Claros - MGCEP: 39400-010
O Norte© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por