As medidas de segurança presentes nos protocolos do programa Minas Consciente devem se estender por meses, possivelmente até 2021. “Nós sabemos que o vírus está entre nós e não irá embora em 30, 60 ou 90 dias. Precisamos ajustar nossa sociedade para conviver com o vírus de maneira segura”, afirmou o governador Romeu Zema, em entrevista ontem. Recém-lançado pelo governo, o programa prevê protocolos para uma reativa-ção gradual da economia.

Zema reiterou que as recomendações presentes no programa foram feitas a partir de detalhes técnicos e permitem uma adequação na flexibilização que já foi realizada em boa parte dos municípios mineiros. “Na internet, todo prefeito, empresário e cidadão encontrará todas as normas e medidas de segurança necessárias para cada ramo de atividade. Fomos muito detalhistas e seguros. Se alguém não estiver disposto a cumprir, que fique em casa em isolamento”, disse o governador.

Segundo ele, o “colchão de segurança” para que possa haver esse planejamento de reativação da economia é o sistema de saúde em Minas. Neste momento, 4% dos leitos de terapia intensiva estão ocupados com pacientes diagnosticados com Covid-19. A ocupação geral é 58%.

Minas tem 71 óbitos confirmados pela doença, o quarto menor índice no país em mortes a cada 100 mil habitantes.

“Podemos ter a reati-vação segura, mas não é volta à normalidade, é volta a uma nova normalidade. Teremos que seguir protocolos de segurança por meses porque o vírus está entre nós e é necessária uma mudança de vida a qual temos que ir nos acostumando”, afirmou o governador.
 
COMPRA DE EPIs
O governador Romeu Zema anunciou também que o Estado fez uma grande compra de equipamentos de proteção individual (EPIs) que serão enviados aos municípios mineiros a preço de custo. A intenção é garantir a segurança de 170 mil colaboradores que trabalham na saúde em Minas, segundo anúncio feito pelo governador durante coletiva virtual.

De acordo com Zema, essa ação, que ganhou nome de Protege Minas, teve de ser realizada porque muitas prefeituras estavam com dificuldade de adquirir máscaras, luvas, gorros e aventais em tempo hábil, com qualidade e preço justo. “A Defesa Civil de Minas fará a logística e ficará encarregada de fazer a separação e distribuição desses produtos”, afirmou o governador.

A distribuição será proporcional, conforme o número de colaboradores em cada cidade, para que nenhuma fique com material em excesso ou falta. O valor empregado nesse programa ou o número de EPIs adquiridos não foi divulgado. 
 
MINAS CONSCIENTE
O Programa Minas Consciente visa oferecer normas de segurança para que as prefeituras tenham um norte ao definir a reabertura do comércio. A iniciativa setoriza as atividades econômicas em quatro ondas (onda verde – serviços essenciais ; onda branca – baixo risco; onda amarela – médio risco; onda vermelha – alto risco), a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação da doença. Indicadores econômicos também foram levados em conta.

A onda verde, a primeira a ser liberada, traz dezenas de setores econômicos nas áreas de indústria, agricultura, pecuária e fabricação artesanal. Fechados em vários municípios, bares, restaurantes e lanchonetes estão nesse grupo. O programa prevê ainda atividades que deverão ser retomadas em um cenário de pós-pandemia, como recreação, lazer, eventos culturais, feiras e operações turísticas.

O texto apresenta também protocolos, divididos por setores econômicos, que devem ser seguidos por todos os cidadãos. São medias que orientam os municípios, mas cada prefeito é quem vai decidir sobre como vai ser a reativação da economia em sua localidade.