Em visita a Montes Claros ontem, o governador de Minas, Romeu Zema, assinou decreto que garante aos municípios mineiros da área da Sudene a continuidade do crédito do Banco do Nordeste em condições diferenciadas durante o estado de calamidade pública decorrente da pandemia. Sem detalhar as condições do crédito, o governador fez a entrega simbólica de respiradores utilizados no tratamento de pacientes com Covid-19.

Os equipamentos hospitalares, dos tipos ventiladores e bipaps, foram entregues ao Hospital de Campanha de Montes Claros e ao Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro da Silveira, e já estão em funcionamento. A região Norte recebeu 66 equipamentos neste período de pandemia, entre ventiladores, bipaps, monitores e três cardioversores.

“Nos últimos meses, um dos eventos que mais fiz, e que faço aqui simbolicamente, é a entrega de respiradores. Não há o que comemorar e lamento imensamente as mais de 6 mil vidas perdidas por Covid em Minas. Mas temos mostrado que um trabalho sério pode, sim, salvar muitas vidas. Minas Gerais, há várias semanas, é o Estado que tem a apresentado a menor taxa de óbitos do Brasil”, afirmou Zema.

Do total de 1.830 novos leitos de UTI viabilizados em todo o Estado desde o início da pandemia, 132 estão na macrorregião de Saúde Norte. Antes, eram 121 unidades na localidade, número que passou agora para 253, o equivalente a um aumento de 109%. Hoje, Minas Gerais conta com 3.902 leitos de UTI na rede pública.

COMBATE À SECA
Além dos investimentos e do esforço para reduzir os impactos da pandemia do coronavírus, o Executivo mineiro destacou, em Montes Claros, a ampliação de ações para combater a seca no Norte de Minas.

Por meio de uma força-tarefa formada por vários órgãos do governo, foi criado o Programa Água Doce, que institui uma política pública permanente de acesso à água de boa qualidade para o consumo humano. Serão incorporados cuidados técnicos, ambientais e sociais na recuperação, implantação e gestão de sistemas de dessalinização, prioritariamente em comunidades rurais.

O chefe do Gabinete Militar do governador e coordenador Estadual de Defesa Civil, coronel Osvaldo de Souza Marques, reafirmou o compromisso dos órgãos estaduais no combate à seca.

“O Programa Água Doce é pioneiro no Brasil e é fruto do nosso esforço para estender as medidas para além de ações meramente reparatórias. As comunidades atendidas terão os sistemas de dessalinização, que passam por diversos estudos sistêmicos para que as pessoas tenham a água por um longo prazo e, assim, tenham dignidade para viver e trabalhar”, ressaltou. 

Inicialmente, serão investidos R$ 15,5 milhões para atendimento de 85 municípios localizados no semiárido mineiro. A equipe do programa está trabalhando na fase de confecção de diagnósticos socioambientais e técnicos, o que viabilizará a construção de 69 sistemas de dessalinização para atendimento à população de 28 mil pessoas afetadas pela seca. Em outubro, serão iniciados os testes de vazão e análise física, química e bacteriológica da água.

*Com Agência Minas