O protocolo para orientar uma possível flexibilização da quarentena será enviado às prefeituras mineiras na próxima semana pelo governo do Estado. Desenvolvido pelas secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Saúde, o documento apresenta quatro ondas gradativas, prevendo a reabertura dos setores do comércio aos poucos, conforme o impacto de cada um na economia e volume de funcionários ou clientes.

As áreas comerciais que fazem parte do planejamento foram divididas em quatro “ondas”: essenciais, baixo, médio e alto risco. A lista não contempla todos os setores da economia. Restaurantes e bares, por exemplo, ficaram de fora.

De acordo com o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, um alinhamento de ações entre os municípios permitirá um melhor monitoramento dos casos de maneira regionalizada. 

“Temos um melhor controle sobre a situação e isso nos permite fazer as orientações para os prefeitos. Isso não pode acontecer de maneira aleatória. Minas conseguiu controlar a situação porque houve uma grande adesão (ao isolamento social) por parte dos mineiros”, disse Amaral, destacando que os mineiros terão de continuar com o uso de máscaras e higienização das mãos.
 
DIRETRIZES
O secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio de Avelar, informou que o programa “Minas Consciente” não apenas apresentará diretrizes às prefeituras, como também aos empresários, colaboradores e consumidores. Para cada setor de comércio, haverá uma série de recomendações específicas sobre higiene e atendimento, por exemplo.

Se em uma determinada região a abertura de lojas for acompanhada de um aumento no número de casos da doença, a reativação do comércio poderá ser revista. “Os prefeitos que aderirem às medidas do programa ‘Minas Consciente’ terão acesso a um acompanhamento do impacto”, disse.
  
INFORMAÇÕES
A partir da próxima segunda-feira (27), os protocolos serão disponibilizados por meio do endereço eletrônico saúde.mg.gov.br/coronavirus. No site, as informações serão segmentadas de acordo com o público específico, seguindo três pilares: o prefeito, o empresário e a população em geral.

O prefeito poderá ter acesso à lista de classificação dos segmentos para facilitar a tomada de decisão. Além disso, encontrará as explicações legais a serem instituídas na cidade.

Aos empresários, a plataforma fornecerá todos os protocolos, sendo um básico e os específicos, de acordo com as necessidades de cada setor. O arquivo será disponibilizado para download e deverá ser impresso e fixado de maneira visível na entrada do estabelecimento que optar pela reabertura. A fiscalização para o cumprimento das regras deverá ser realizada pelo município.