Para monitorar as lavouras e projetos de irrigação, cavalos e seus cavaleiros estão sendo substituídos pela tecnologia. Do alto, os veículos Aéreos não Tripulados (Vants), mais conhecidos como drones, otimizam as atividades do homem do campo. Os equipamentos coletam imagens e informações que garantem mais exatidão na tomada de decisões, seja para a realização de investimentos, construção de represas, para venda ou compra de uma propriedade ou demarcação de terras.

No Norte de Minas essa tecnologia já é usada para monitorar as plantações e, principalmente, o gado. Agora, a Emater entra para o time dos que apostam na tecnologia para melhorar a situação do campo.

A empresa estatal está utilizando dois drones para coletar dados e gerar informações georreferenciadas. Os equipamentos já foram utilizados para monitoramento de uma lavoura de café e para mapear áreas irrigáveis no leito do rio Paraopeba, prejudicado pelo rompimento da Vale, em Brumadinho.

Em Montes Claros, foi feito um mapeamento, com uso dos drones, em áreas de recarga hídrica para aplicação de técnicas de conservação de solo e água. O equipamento conseguiu fazer a topografia da dimensão das bacias de captação construídas para armazenar água da chuva. Trabalhos semelhantes também foram realizados em Juramento e São Gotardo.
 
PRECISÃO 
De acordo com a Emater, os equipamentos, com câmera fotográfica e software específico, permitem a elaboração de mapas em 2D e 3D, estudos de uso e ocupação do solo, avaliação de falhas em plantios, incidência de pragas e doenças, cálculo de produtividade, dentre outras utilidades.

Para operar os drones, 14 profissionais da empresa passaram por treinamento. “Os drones são uma ferramenta empregada na agricultura de precisão. Eles fazem principalmente serviços de topografia aérea e monitoramento de lavouras, com baixo custo e resultados rápidos”, explica o coordenador estadual de Tecnologia e Inovação da Emater, Péricles Squaris Marques.

EMATER – Empresa está utilizando os equipamentos para ter mais precisão e rapidez nos diagnósticos

EMATER – Empresa está utilizando os equipamentos para ter mais precisão e rapidez nos diagnósticos


Exatidão do drone favorece economia
O produtor rural Rodolpho Rebelo utiliza o Vant há cerca de três anos e meio nas duas propriedades dele – uma em Capitão Enéas e a outra em Pedras de Maria da Cruz. Para ele, a flexibilidade de operação é outro aspecto de destaque, já que cada área possui particularidades, proporcionando um diagnóstico mais preciso na lida com a lavoura.

“Essa tecnologia permite fazer resoluções muito rápidas, pela facilidade da avaliação da área através de voos nos quais conseguimos fazer um mosaico e montar um quadro de fotografias de toda região e examinar as questões da produção, além de definir formas de como o problema será solucionado”, afirma Rebelo.

Como os drones são portáteis, eles aumentam produtividade e possibilitam ao produtor rural a economia de insumos, pois quando há a necessidade de pulverizar, o equipamento proporciona mais exatidão, sendo aplicado apenas nas áreas demarcadas, evitando o contato do produto com o aplicador.
 
CUSTO-BENEFÍCIO
O preço dos equipamentos varia entre R$ 5 mil e R$ 300 mil, dependendo do sensor e da capacidade de atuação. 

“Com o drone eu consigo observar falhas de pastagem, algum animal doente ou perdido. Graças à amplitude do drone, consigo monitorar cada fazenda em uma média de 1h a 1h30, trabalho que eu gastaria de dois a três dias para fiscalizar”, conta Roberto Machado, da Sociedade Rural.