O governo de Minas quer contar com a participação popular na criação do Plano Estadual de Desenvolvimento da Gastronomia Mineira. Para tanto, abriu consulta pública para receber sugestões relacionadas a iniciativas na área. O prazo para participar vai até 8 de dezembro, pelo endereço eletrônico www.consultapublica.mg.gov.br. 

Conhecido como “Cozinha Mineira”, o plano vai articular iniciativas do poder público, setor privado e sociedade civil organizada com objetivo de criar e promover políticas públicas para o fomento, posicionamento e fortalecimento da gastronomia como setor estratégico de desenvolvimento socioeconômico em Minas Gerais.

O documento apresentado na consulta foi elaborado pelo grupo gestor do Programa Estadual de Desenvolvimento da Gastronomia Mineira (PEGM) e é resultado do debate, contribuições e troca de informações realizados ao longo dos últimos nove meses. Engloba, ainda, a revisão da primeira versão do Plano Estadual de Desenvolvimento da Gastronomia, cujo prazo compreende os anos de 2018 a 2021.

PRODUTO TURÍSTICO
O secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, reforça a importância de promover a cozinha mineira. “O plano traça, de forma prática, caminhos e metas com relação ao desenvolvimento da gastronomia como produto turístico de excelência, inclusive sob a perspectiva do marketing”, argumenta.

Oliveira destaca que a revisão do plano consolida um esforço conjunto que já conquistou avanços nos últimos anos, trazendo uma nova perspectiva: “a da cozinha mineira como bem imaterial, patrimônio imaterial do Estado”.

Após realização da consulta, a previsão é para que a versão final do Plano Estadual de Desenvolvimento da Gastronomia seja publicada ainda em 2020.

É importante salientar a relevância estratégica da gastronomia para Minas Gerais, a promoção da cozinha mineira, uma vez que toda sua cadeia produtiva, assim como as questões sociais e culturais correlacionadas a ela, afetam fortemente a qualidade de vida do mineiro e apresentam diversas oportunidades de geração de renda, trabalho, desenvolvimento social e econômico.

*Com Agência Minas