Asfalto precário, buracos, obras, desvios e muita chuva. O feriado prolongado de 15 de novembro vai exigir do motorista cuidado redobrado nas rodovias que cortam Minas. Além de ter que lidar com pelo menos 87 trechos que necessitam de atenção, tanto nas estradas federais quanto nas estaduais, o condutor terá que contar com o risco de fortes temporais durante os três dias de recesso. Isto é, na ida e na volta.

Somado a essas armadilhas, radares móveis estão inoperantes na malha sob jurisdição da União, o que pode abrir caminho para infratores pisarem fundo no acelerador.

Levantamento nos sites dos departamentos de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER) e Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) identificou restrições. Nas pistas estaduais são 50 pontos com problemas. Já nas federais, 37. Muitos são os alertas para sinalização deficiente e tráfego em meia-pista.
 
FAÇA SUA PARTE
“São muitos os fatores adversos que os motoristas deverão encontrar”, explicou Karla Rodrigues, doutora em Engenharia de Transporte e professora do Cefet-MG. De acordo com a especialista, o condutor que encarar uma viagem longa também deve verificar a manutenção do veículo.

O alerta aumenta com a possibilidade de chuva, principalmente nos destinos preferidos pelos mineiros, como Rio de Janeiro e Espírito Santo. Meteorologista do Climatempo, Josélia Pegorim sinaliza que áreas de instabilidade se formarão nessas regiões devido à passagem de uma frente fria. “Nuvens carregadas se espalharão pelo Sudeste, provocando temporais”.

Nesses casos, é necessário reduzir a velocidade. O aviso é do professor de Segurança Viária do Cefet-MG, Agmar Bento. “É um dos princípios da direção defensiva”, pontuou. “Além disso, uma recomendação sempre necessária é a de usar os dispositivos de segurança, como os faróis. Todo cuidado é importante”, ressalta. 

Em nota, o DEER-MG garante que monitora e executa trabalhos de manutenção das estradas para evitar transtornos, principalmente no período chuvoso. O departamento disse que, até agosto, investiu R$ 139,5 milhões em serviços de conservação, manutenção e recuperação das rodovias. O Dnit não se pronunciou até o fechamento desta edição.

Leia Mais:
Fiscalização reforçada