O pedágio nas cinco praças da BR-135 entre Montes Claros e Curvelo sofreu reajuste e agora está em R$ 8 para veículos de passeio, R$ 8 para veículos comerciais, por eixo, e R$ 4 para motos. Os valores estão em vigor desde ontem e também são cobrados de quem passa na LMG-754, perto de Cordisburgo.

O anúncio do reajuste foi feito em 25 de maio. A alta havia sido adiada duas vezes seguindo decisão da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), órgão responsável pela fiscalização. 

O empresário Luan Rocha, de 33 anos, da empresa de logística e transporte Black Log, faz viagens de segunda a sexta-feira de Montes Claros a Belo Horizonte. Ele considera o reajuste abusivo.

“Já perdemos vários pneus por causa de buracos e podemos observar trechos da pista em péssimo estado de conservação, com muita ondulação e asfalto recapeado. Dá para perceber que o asfalto não é novo e de tempos e tempos temos muito prejuízo”, diz. “Precisamos de atendimento por duas vezes, quando o carro deu problema 80 quilômetros depois de Bocaiuva. Acionamos o seguro, que enviou um guincho de Montes Claros. O socorro chegou primeiro que o atendimento da ECO-135, a apenas 30 quilômetros de onde estávamos”, reclama.

Segundo Luan, por mês o gasto com pedágio chega em torno de R$ 1.800. “Mas até hoje não vejo um retorno concreto. O que se percebe é que é a rodovia mais cara de Minas Gerais e demoram muito na manutenção. Quando terminam de arrumar um trecho, o que foi arrumado anteriormente já está cheio de problema. Realmente essa cobrança é abusiva e injusta”, diz Luan.

Segundo a Eco-135, concessionária que opera na via, o reajuste anual segue as diretrizes do Contrato de Concessão Setop 004/18, firmado com o Estado. O percentual de reajuste é baseado na variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O valor cobrado anteriormente era de R$ 7,50.