O setor de energia recebe mais investimentos no Norte de Minas. Dessa vez, são R$ 950 milhões na implantação de uma linha de transmissão feita pela Taesa, empresa transmissora do Grupo Cemig.

A Linha de Transmissão Janaúba acaba de ser inaugurada e é considerada o maior projeto greenfield (abertura de novos mercados ou atividades inovadoras) já realizado pela empresa na região.

O empreendimento foi entregue pouco mais de cinco meses antes do prazo limite exigido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e será importante para aumentar a capacidade de transmissão da interligação Nordeste-Sudeste neste momento de escassez hídrica. 

Localizado entre os estados de Minas Gerais e Bahia, a LT Janaúba possui 542 quilômetros de extensão, compreendendo as linhas de transmissão LT 500 kV Bom Jesus da Lapa II – Janaúba 3 (304 quilômetros de Circuito Simples) e LT 500 kV Janaúba 3 – Pirapora 2 (238 quilômetros de Circuito Simples) e três subestações de 500 kV (Bom Jesus da Lapa II, Janaúba 3 e Pirapora 2).

O empreendimento tem capacidade para transportar 1.600 megawatts (MW) de potência, energia suficiente para atender ao consumo de cinco milhões de pessoas. 

O presidente da Cemig, Reynaldo Passanezi Filho, destaca que a Linha de Transmissão Janaúba não podia chegar em melhor hora, pois vai dar ainda mais confiabilidade ao sistema elétrico de Minas e terá muita importância para o setor elétrico brasileiro. 

“Minas Gerais terá um sistema elétrico ainda mais robusto, o que vai dar mais capacidade de crescimento econômico ao Estado e também criar mais investimentos em geração solar na região Norte. Além disso, o projeto aumenta a capacidade de transmissão da interligação Nordeste-Sudeste do Brasil, neste momento delicado pelo qual todos estamos passando, e atende a necessidade de dimensionamento do Sistema Interligado Nacional. Dessa forma, a nova Linha de Transmissão vai escoar a carga de energia do Nordeste para trazê-la ao submercado Sudeste/Centro-Oeste, principal centro de carga do país”, explica Reynaldo Passanezi Filho. 

Além do presidente da Cemig, a inauguração da nova LT contou com as presenças do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e do CEO da Taesa, André Moreira.
 
INVESTIMENTOS
A obra empregou diretamente mais de 800 pessoas por mês. A Taesa tem ainda um portfólio de outros cinco projetos para serem entregues, que totalizam R$ 2,2 bilhões de investimentos Aneel e cerca de R$ 400 milhões de RAP (considerando apenas a participação Taesa no ciclo 2021-2022). 

Até 2025, a Cemig irá investir R$ 22,5 bilhões em geração, transmissão e distribuição de energia, geração distribuída e comercialização de gás. Apenas no sistema elétrico de distribuição, que atende mais de 8,7 milhões de clientes, serão R$ 12,5 bilhões em investimentos, com foco na modernização da rede, de forma a induzir o desenvolvimento econômico de Minas. A Cemig é acionista com 21,68% de participação na Taesa, um dos maiores grupos privados de transmissão de energia elétrica do Brasil

*Com Agência Minas