As regiões Norte e Nordeste do Estado vão receber investimentos de R$ 1,43 bilhão do governo de Minas até 2022. Os recursos integram o Plano Integrado de Desenvolvimento do Norte e Nordeste, apresentado ontem pelo governador Romeu Zema em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha. A previsão é a de que sejam gerados 143 mil empregos e ações em áreas como Desenvolvimento Econômico e Social, Infraestrutura e Segurança Hídrica.

Zema destacou o empenho da gestão para levar água potável às famílias de comunidades da região, principalmente neste momento de pandemia, quando a higienização precisa ser redobrada. Essa é uma das ações que integram o plano e que já foi executada.

“Quero deixar claro como eu me sinto feliz em participar deste gesto que, do meu ponto de vista, não tem nada de grandioso, mas tem muito de transformador. Pois sem água nós todos sabemos que não tem como ter uma vida digna. Uma região que depende de caminhão-pipa é uma região que nunca vai se desenvolver porque água é fundamental, é um recurso para a sobrevivência, para questões básicas”, disse.
 
ABASTECIMENTO
Para atender 5 mil pessoas que não tinham acesso à água em municípios dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e do Norte de Minas, que sofrem com escassez hídrica durante todo o ano, o governo estadual contratou 50 Sistemas Integrados de Abastecimento de Água (SIAA), totalizando R$ 11,5 milhões investidos. 

Famílias de comunidades da região de Itinga, contempladas pelos novos sistemas, participaram da agenda desta quarta-feira em Araçuaí.

Um dos beneficiados, Israel Soares dos Santos, destacou que o abastecimento hídrico vai melhorar a qualidade de vida da população local. “Esse projeto vai mudar muito a vida da gente. Tempos atrás a gente saía e não sabia se teria água para tomar banho quando chegasse do trabalho. Vamos ter o poder de plantar uma horta, de ter outra vida, mais saudável para todos nós da comunidade”, contou.

Novo olhar para a região

No Norte de Minas, o plano será desenvolvido em 35 ações, como o apoio para o desenvolvimento dos arranjos produtivos locais, a construção de pontes sobre o rio São Francisco nas cidades de São Francisco, Itacarambi e São Romão.

Ainda estão previstas ações para a melhoria da infraestrutura dos municípios da região por meio da conclusão de convênios em andamento e de parceria com prefeituras para pavimentação de bairros ou melhorias asfálticas nos municípios.

Há, também, projeto para a pavimentação e melhoria asfáltica da MG-402, com pavimentação do trecho entre os municípios de Pintópolis e Urucuia.
 
PROJETO HIDROAGRÍCOLA
Em relação à segurança hídrica, o plano propõe implementar, em parceria com o governo federal, o Projeto Hidroagrícola de Jequitaí e acompanhar a retomada das obras de construção.

Para o diretor-geral do Idene, Nilson Borges, as intervenções vão levar, além de desenvolvimento econômico, melhorias sociais para a população.

“É importante que a região seja reconhecida por suas riquezas, o que tem de melhor. E muitas vezes essa região é reconhecida por coisas negativas, precisamos tirar esse estigma. Nossa missão é fazer um plano de longo, médio e curto prazo. Ações que podem ser implementadas com recursos e outras sem recursos. Não acreditamos que podemos fazer desenvolvimento econômico separado do social, então essa é nossa missão. Queremos que isso se torne emprego e renda”, concluiu.

*Com Agência Minas